Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Seções — Caminhos da missão

Um profissional a serviço do Rei

Ele vivia tranquilo, executando diligentemente seu serviço na corte real. Havia subido de cargo e tornara-se o homem em quem o rei confiava totalmente -- o copeiro que escolhia e provava o vinho do rei para certificar-se de que este não havia sido envenenado (pois as intrigas caracterizavam a corte da Pérsia). O emprego tinha riscos, mas também privilégios; responsabilidades, mas também certa liberdade, se considerarmos que ele pertencia a um povo “escravo”. Neemias estava “bem de vida”.

Porém, chegou uma notícia aos ouvidos dele que lhe tirou a paz e o deixou tão triste que ele se sentou e chorou. Ela fez com que um homem inteligente, responsável e capaz chorasse. A notícia era que os que sobreviveram ao cativeiro e estavam em Jerusalém passavam por grande sofrimento e humilhação. O muro da cidade havia sido derrubado, e suas portas destruídas pelo fogo (Ne 1.3).

Por que Neemias sentiu tanta tristeza por pessoas que moravam em outro país, longe dele e distante do conforto do palácio real? Por que tanto choro? Porque esse era seu povo; e a cidade que estava em ruínas, a cidade de Deus, a cidade santa. O lugar para o qual seu povo e os povos vizinhos deveriam levantar os olhos e dizer: “Ali é onde Deus mora no meio do seu povo”. Jerusalém -- a glória de Deus.

E hoje, como Deus vive entre os povos da terra? O que é a glória de Deus entre as nações? Somos nós, seus filhos e filhas. É a nossa união, a igreja que representa Cristo no mundo. Porém, será que nós, quando ouvimos sobre a situação da igreja no nosso país, no mundo, nos sentamos e choramos? Passamos dias lamentando e jejuando como Neemias? Onde está o nosso choro, a nossa preocupação com a glória de Deus?

Neemias não apenas chorou e orou. Ao buscar a Deus, ele atentou para o chamado do Senhor para a vida dele. Neemias, cujo nome significa “o Senhor consola”, percebeu que Deus tinha um propósito ao lhe conceder dons de administração e liderança, e também uma posição de privilégio como funcionário na corte real. Ele entendeu que havia chegado um momento importante na sua vida, em que Deus o chamava para servi-lo, para deixar a situação de conforto e de segurança em que estava e ir para outro país, a fim de trabalhar, servir, levar consolo a outros.

Neemias não só chorou e orou. Ele também se preparou, pensou, planejou e agiu. No momento propício ele apresentou ao rei Artaxerxes um plano completo da obra missionária que desejava executar. Pediu permissão para sair do emprego atual (Ne 2.5), visto para poder viajar (Ne 2.7), oferta de materiais necessários para a obra (Ne 2.8), e foi para Jerusalém com a bênção do rei da Pérsia liderar a obra de reconstrução do muro da cidade de Deus.

Um profissional a serviço do Rei na obra missionária, que se preocupou com a glória de Deus entre as nações. Neemias usou todo o conhecimento, os dons e as capacidades que Deus lhe tinha concedido para levar outros a conhecer, servir e glorificar a Deus.

Quer ser um profissional a serviço do Rei? Ore ao Deus dos céus como Neemias orou (Ne 2.4) e responda ao Rei (Ne 2.5).

Janet Susan é coordenadora de pessoal da Interserve Brasil-CEM (Centro Evangélico de Missões), em Viçosa, MG.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.