Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Capa

Cântico fúnebre para Tiro

“O Senhor me disse o seguinte: Homem mortal, cante um cântico fúnebre para Tiro, aquela cidade que fica à beira do mar e faz comércio com todos os povos que vivem no litoral” (Ez 27.1-3)

O presente cântico fúnebre, embora muito triste e sombrio, é de grande beleza poética. A primeira parte descreve as proezas de Tiro, um navio na superfície do mar. A segunda descreve as calamidades de Tiro, um navio no fundo do mar.

“Tiro, um navio na superfície do mar” (Ez 27.3-25)
“Tiro, você se orgulhava da sua beleza perfeita. O mar é o seu lar. Os seus construtores a fizeram parecida com um belo navio. Na construção, usaram pinho do monte Hermom e para o mastro usaram um cedro do Líbano. Pegaram carvalho de Basã para fazer os remos. Fizeram o seu convés de pinho de Chipre e o enfeitaram com marfim. As suas velas eram de linho bordado do Egito, velas reconhecidas de longe. Os seus toldos eram de tecido fino, de púrpura da ilha de Chipre (27.3-7).
Ó Tiro, os seus marinheiros eram os seus próprios homens experientes, e os seus remadores eram das cidades de Sidom e de Arvade. Os carpinteiros do navio eram homens de Biblos, bem preparados. Marinheiros de todos os navios do mar faziam negócios nas suas lojas.” Soldados da Pérsia, Lídia e Líbia serviam no seu exército. Eles dependuravam os seus escudos e capacetes nas suas barracas. Eles conquistaram a glória para você. Soldados de Arvade ficavam de guarda nas suas muralhas, e homens de Gamade guardavam as sua torres. Eles penduravam os escudos nas suas paredes. Foram estes que fizeram com que você ficasse bonita (27.8-11).
Você fazia negócios na Espanha e em troca das suas muitas mercadorias você recebia prata, ferro, estanho e chumbo. Você fazia negócios na Grécia, Tubal e Meseque e trocava as suas mercadorias por [...] cavalos comuns, cavalos de guerra e por mulas de Bete-Togarma (27.12-14).
A gente de Rodes negociava com você. Em troca dos seus artigos, moradores de muitas terras do litoral davam a você marfim e madeira de ébano. O povo da Síria comprava os seus muitos produtos e as suas mercadorias. Em troca das suas mercadorias, eles davam esmeraldas, tecidos de púrpura, bordados, linho fino, corais e rubis. Judá e Israel pagavam as suas mercadorias com trigo de Minite, mel, azeite e especiarias. Damasco negociava com você e em troca dos seus muitos produtos dava vinho de Helbom e lã de Saar. De Uzal traziam para você vinho, ferro trabalhado e especiarias, que trocavam pelos seus artigos. Em troca dos seus produtos, o povo de Dedã oferecia mantas para cavalo. Os árabes e as autoridades de Quedar pagavam as suas mercadorias com carneirinhos, carneiros e bodes. Em troca das suas mercadorias, os negociantes de Sabá e Ramá davam as mais finas especiarias, pedras preciosas e ouro. As cidades de Harã, Cane e Éden, os comerciantes de Sabá, as cidades de Assur e Quilmade -- todos faziam negócios com você. Eles lhe vendiam roupas de luxo, tecidos de púrpura, bordados, tapetes de várias cores e cordas e cordões bem trançados. As suas mercadorias eram levadas em grupos de grandes navios cargueiros. “Tiro, você parecia um navio no mar, carregado com carga pesada” (Ez 27.15-25).

“Tiro, um navio no fundo do mar” (Ez 27.26-36)
“Quando os seus remadores levaram você para o mar alto, o vento leste a fez afundar longe de terra. Toda a riqueza da sua mercadoria, todos os marinheiros da tripulação, os carpinteiros do navio e os seus comerciantes, cada soldado que estava no navio -- todos, todos se perderam no mar quando o navio afundou. Os gritos dos marinheiros que se afogavam foram ouvidos até na praia. Todos os navios estão agora abandonados, e todos os marinheiros foram para terra firme. Todos eles choram amargamente por você, jogando pó na cabeça e rolando nas cinzas em sinal de tristeza. Por sua causa, eles rapam a cabeça e vestem roupa feita de pano grosseiro, chorando com o coração amargurado. Eles cantam para você esta canção triste: ‘Quem pode se comparar com Tiro, que agora está em silêncio no meio do mar? Quando as suas mercadorias eram carregadas através dos mares, você satisfazia a muitas nações. Com a riqueza dos seus bens, você enriqueceu os reis da terra (Ez 27.26-33).
Agora, você está no fundo do mar, está afundada nas profundezas do oceano. Os seus bens e todos aqueles que trabalhavam para você desapareceram junto com você no mar’” (Ez 27.34-36).

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.