Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Capa

A mistura do bem com o mal

O cristianismo firma-se sobre dois grandes pilares: nossa grande queda e nossa grande redenção.
W. Law

O filósofo grego Heráclito (sexto século antes de Cristo) dizia que “o laço que não se vê é mais forte do que o laço que se vê”. Precisamos sobreviver a certos processos sinistros que se escondem por trás da religião e usam o nome de Deus em vão sem demonstrar isso claramente. A presença e a influência do joio no meio do trigo têm uma longa história e foram primeiramente denunciadas por Jesus numa de suas parábolas (Mt 13.36-43).

Embora sejam coisas berrantes, nem sempre provocam espanto por causa da mistura religiosa. No início deste ano, por exemplo, realizou-se, em Arraial do Cabo, RJ, o primeiro retiro espiritual “cristão gay” e, no feriado de Corpus Christi (10 de junho), foi a vez do segundo encontro de “naturistas cristãos”, realizado na praia de Abricó, em Grumari, RJ. O processo é tão sorrateiro que o jornal evangélico que publicou a notícia, publicou também uma foto de seis nudistas, quatro com as mãos levantadas em atitude de adoração (três homens e uma mulher) e dois com a Bíblia aberta na mão (um homem e uma mulher). Segundo o jornal, os chamados “naturistas cristãos” reúnem metodistas, batistas, quadrangulares, católicos, membros da Igreja Metropolitana (a denominação homossexual de origem americana) e outros.

O mesmo jornal noticia o “novo casamento” de certo cantor evangélico (também ministro de música) com a filha de uma pastora, sob as bênçãos do “pastor das estrelas”, no “requintado espaço” de um grande shopping center na zona sul do Rio de Janeiro, com a presença de “ilustres convidados” e com lua-de-mel na “romântica capital da França”. Parecia uma nota da revista Caras. O ensino evangélico de um só casamento foi ocultado pela bem estudada pompa e circunstância.

Parodiando a máxima de Heráclito, poderíamos dizer que o processo em marcha que não se enxerga é mais perigoso que o processo em marcha que se enxerga. São os processos da soberba, da pressão dos números, da mercantilização do sagrado, da secularização, da mundanização, da midiatização, da profanação, do relativismo ético etc. Esses processos de envenenamento gradual vão transformando a igreja cristã numa igreja sem a presença de Jesus, como a igreja em Laodicéia, a cujo pastor o próprio Senhor, do lado de fora, diz: “Eis que estou à porta e bato” (Ap 3.20). Preocupamo-nos mais com a vigilância teológica e menos com a vigilância ética, quando deveríamos nos preocupar com ambas porque uma completa e fortalece a outra.

Por vestirem roupa de anjos e não de demônios não é muito fácil sobreviver a esses processos danosos e destruidores.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.