Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Família e igreja: casamento indissolúvel

“Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Deus os abençoou, e lhes disse: "Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra!” (Gn 1.27-28).

A família sofreu e sofre um acelerado processo de involução desde o século passado. Esta involução não é só cultural, é também legal. Existem leis criadas pelo Congresso e interpretações da Constituição que dão novo entendimento do que seja uma família. Segundo os padrões vigentes de nossa cultura e sociedade, um casal formado por um homem e uma mulher com geração ou adoção de filhos já não responde exclusivamente pelo instituto familiar. Vale para família o que Jesus afirmou acerca da indissolubilidade do casamento: “foi por causa da dureza do vosso coração...no princípio não era assim...” (Mt 19.8). Deus criou homem e mulher, macho e fêmea os criou, narra o texto sagrado, e deu-lhes a ordenança de serem fecundos, de se multiplicarem (Gn 9.7).

A família está no centro do projeto original de Deus, é uma instituição por ele desejada antes da Queda, antes do pecado original. Todas as alterações posteriores, a ruptura do vínculo matrimonial, a indisciplina ou abandono dos filhos, a paternagem irresponsável, etc inequivocamente são consequências da desobediência radical de Adão.

A família espelha um mistério divino, Deus é família no seio da Trindade. Vive e existe em condição familiar de amor, reciprocidade, entrega, comunhão, partilha e etc. Deus planejou a família para que alguns de seus atributos pudessem ser compartilhados com os homens, feitos à sua imagem e semelhança. A graça da geração de filhos, a autoridade e o governo para fazer crescer e proteger a vida, a providência originada do trabalho, o amor sacrificial e a beleza da comunhão.

Além disso, o Senhor planejou a família para ser a raiz da Igreja, a igreja radical e mais fundamental. A família foi constituída para ser um santuário protetor da vida que é sagrada e inviolável para Deus. Por isso a geração de filhos é importante para os cristãos. Por isso o aborto é insuportável para os cristãos. Por isso a eutanásia é indigna dos cristãos. Por isso, o amparo e o cuidado venerando dos idosos são um dever para os cristãos, pois a vida é um bem divino inestimável. A família é, pois, sua guardiã. É uma igreja radical porque no seio da família se transmitem os mais básicos conceitos sobre Deus, devoção, oração e vida em comunidade. Os pais deveriam ser os primeiros e mais fundamentais catequistas de seus filhos.

Deus projetou a família para ser uma escola de virtudes para a formação sólida do caráter humano. As noções básicas de honestidade, alteridade, cidadania, justiça, equidade, respeito, solidariedade e caridade deveriam ser aprendidas e apreendidas no aconchego do lar. No projeto original, Deus quis que a família fosse um celeiro de santos e um viveiro de vocações para servirem na Igreja e no Mundo para a difusão do Reino como alegres e poderosas testemunhas do amor de Deus manifestado em Cristo. A família não é só a “celula mater” da sociedade, o é também do povo de Deus, da Igreja Peregrina. Famílias desajustadas e enfermas estão na origem de muitos males sociais e de muitas das misérias e fraquezas da Igreja.

O convite para este mês é o de levarmos as nossas famílias para uma espécie de “ReCall” espiritual. Ainda que o projetista não possa ser acusado de ter falhado no desenho, no cálculo e não indicação dos materiais a serem usados, os montadores e os “fabricantes” de novas concepções familiares têm usado peças não originais, com defeito, que vem apresentando sérios perigos para a nossa vida e felicidade. Voltemos todos ao “Manual” do fabricante, que é a Bíblia, submetamos as nossas famílias aos ajustes necessários, às trocas indispensáveis de peças e acessórios incompatíveis com o projeto original e tenhamos uma viagem segura rumo à Casa do Pai que nos espera com a família maior, de todos os santos e santas de Deus, nossos amados irmãos.

Lute por sua família, invista nela, não permita que ela “involua” para um ponto onde só temos o que perder e nada para lucrar.


Leia também
A Igreja está doente 
A Espiritualidade, o Evangelho e a Igreja 
Crises e perdas na família 
É ministro da Igreja Presbiteriana Central de Itapira (SP) e professor de Teologia Pastoral e Bioética no Seminário Presbiteriano do Sul, de Filosofia na Faculdade Internacional de Teologia Reformada (FITREF) e de História das Missões no Perspectivas Brasil.
  • Textos publicados: 41 [ver]

Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.