Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

“De hoje em diante...”

O autor de Eclesiastes supõe que “é melhor não prometer nada do que fazer uma promessa e não cumprir” (Ec 5.5). Já o presidente da Fundação para Pesquisa da Aids supõe que “é melhor tentar e falhar do que nunca tentar” (IstoÉ, 22/4/2015, p. 10).

Pelo contexto, percebe-se que o livro de Eclesiastes se refere a pessoas que fazem promessas apressadas, irrefletidas e interesseiras. Promessas com o propósito, não de corrigir algum comportamento errado, mas de pressionar a generosidade de Deus.

Promessas tão vulgares que não têm valor evangélico algum. De Hoje em Diante trata de promessas de natureza ética. Da parte de pessoas que se enxergam e já sabem quais são as suas desvirtudes, suas manhas, seus vícios, suas excentricidades, sua feiura moral e seus pontos de vulnerabilidade. Com muita intensidade e sinceridade, elas querem alcançar vitória sobre essa bagagem toda que entristece o Espírito Santo e traz inquietação para sua consciência e sofrimento para seus queridos. Elas dizem de si para si, por exemplo: “Pornografia nunca mais!”, “Ansiedade nunca mais!”, “Álcool nunca mais!”, “Parar no meio do caminho nunca mais!”, “Drogas nunca mais!” e assim por diante.

A resolução contida na pequena frase “de hoje em diante” é uma porta continuamente aberta para os amargurados de espírito. Significa um desejo de mudança tão sério que nos faz assumir um compromisso privado (só eu com os meus botões) ou menos privado (só eu e os que me rodeiam). Na maior parte das vezes a decisão é feita na presença e com a ajuda de Deus.

A história do povo de Deus na antiga e na nova aliança, a história da Igreja e a nossa própria história mostram exaustivamente que um só “de hoje em diante” nem sempre é suficiente. Naturalmente há casos raros de pessoas que se ajoelham, se demoram e choram diante do Senhor, confessam suas fragilidades e, por fim, anunciam o seu “de hoje em diante” – e nunca mais voltam atrás.

Por causa da queda, por causa da natureza humana, por causa da cultura sacrificada pelo Maligno e por causa do próprio Maligno, a oferta do pecado é muito insistente e sua reincidência, muito comum. Enquanto Deus exclama “Sejam santos porque eu sou santo”, o Diabo exclama “Sejam pecadores porque eu sou pecador”. O “sejam santos” só vai esmagar o “sejam pecadores” quando o crente conseguir desobedecer aos desejos de sua natureza humana (Gl 5.16) por meio de frequentes “de hoje em diante”. A vitória sobre o pecado não é automática nem por conta exclusiva de Deus. Daí a necessidade de outros e mais outros “de hoje em diante”.

Todos concordamos com João quando ele escreve que o alvo mais alto é não voltar a pecar qualquer pecado em qualquer tempo e em qualquer situação. Porém – continua o bom velhinho – “Se alguém cometer pecado [ou quebrar um dos compromissos de santidade], temos um Amigo-Sacerdote na presença do Pai: Jesus Cristo, o justo” (1Jo 2.1, AM).

Em todos os lamentáveis casos de reincidência, há lugar para mais um “de hoje em diante”, caso não haja cinismo de nossa parte, caso não queiramos pecar mais uma vez para que a graça de Deus aumente muito mais ainda (Rm 5.20). Antes de cada novo “de hoje em diante”, precisamos nos arrepender e confessar a nossa triste reincidência (1Jo 1.9). Se Deus perdoasse o mesmo pecado uma só vez, estaríamos todos igualmente perdidos!

Talvez a maior prova de sabedoria de Salomão reside no fato de ele admitir que seu povo podia pecar várias vezes no decorrer da história, mas, se ele se arrependesse e orasse, seus pecados seriam perdoados vezes após vezes (1Rs 8.33-34).

Um dos mais notáveis “de hoje em diante” foi proferido não por um sacerdote de Israel nem por um cristão, mas por Naamã, um militar sírio da mais alta patente, depois de sua conversão ao monoteísmo: “De agora em diante eu não vou oferecer sacrifícios e ofertas que são completamente queimadas a nenhum deus, a não ser a Deus, o Senhor” (2 Rs 5.17).

As palavras do salmista vêm a calhar: “Tenho pensado na minha maneira de agir e prometo [de hoje em diante] seguir os teus ensinamentos. Com toda a pressa e sem demora, procuro obedecer aos teus mandamentos” (Sl 119.59-60).

Nota: texto publicado originalmente com apresentação do livro De Hoje Em Diante.

Leia também
A descoberta da compulsão
Crack: o monstro de boca aberta
Mitos e Neuroses: desarmonia da vida moderna

Foto: Petr Vins/www.freeimages.com
Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1008 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.