Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Especial — Infográfico

Refugiados -- medo, oportunidade, compaixão, ação?

Klênia Fassoni

O infográfico das páginas seguintes lança luz sobre o drama de 65,6 milhões de pessoas que são obrigadas a deixar seus lugares de origem e buscar outros destinos. Se formasse uma nação, esse país teria a 21ª maior população do planeta. A situação é dramática para milhares de famílias, especialmente para as crianças. Para se ter uma ideia, entre 2011 e 2016, só na Itália, desembarcaram mais de 60 mil pequenos migrantes desacompanhados.

Entre os refugiados estão os apátridas, estimados em 12 milhões. São pessoas que nasceram nas fronteiras e não possuem documentação: “Apesar de estarem vivendo por gerações em algum país, oficialmente não existem em nenhum lugar”. Elas não têm noção exata de pertencimento e carregam consigo problemas de identidade.

O maior campo de refugiados do mundo -- Dadaab, no Quênia -- abriga 600 mil pessoas (o equivalente à população de Ribeirão Preto, SP, com 605.114 habitantes) e existe desde 1991. O campo de Nakivale, na Uganda, é um dos mais antigos. Existe desde 1958: sessenta anos são suficientes para ver florescer de três a quatro gerações.

As reações à crise diferem ao redor do mundo. Alguns países têm aberto suas portas para os refugiados, outros os veem como ameaças em potencial. Há unanimidade quanto à complexidade do fenômeno.

A igreja cristã global tem -- na maior parte das vezes -- buscado a via do acolhimento. Mas também há vozes discordantes e alarmistas, principalmente em torno da suposta ameaça do islamismo.

Além de dar visibilidade a essa questão tão atual, Ultimato destaca algumas das iniciativas cristãs (veja na matéria de capa três relatos de acolhimento no Brasil e cinco pequenas notícias do que acontece ao redor do mundo).

No portal Ultimato, demos oportunidade a diversas organizações que estão atuando no Brasil para falarem sobre o que fazem em favor dos refugiados.

A relação entre refugiados e cristianismo está sendo notada na imprensa. Exemplo disto é o relato da jornalista Adriana Carranca em seu artigo “A conversão de refugiados ”, publicado em ‘O Globo’ (Veja Mais do que notícia, na página 16).

Leia mais
>> Lista de organizações cristãs que atuam em favor dos refugiados
>> Brasil: exemplo para o mundo quando se trata de refugiados e imigrantes

>> Arquivo para impressão aqui <<

 

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.