Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Capa

Família: graças, Senhor!

Agradecemos-te, ó Senhor, porque não nos deixaste sozinhos

Senhor, somos gratos porque...

... o Gênesis relata seis vezes: “E viu Deus que era bom” e, em seguida, registra: “Não é bom que o homem esteja só”. Que maravilha que tenhas nos feito seres relacionais, à tua imagem!
... no início de tudo, tu inventaste o casamento. Criaste homem e mulher, ambos à tua imagem e semelhança, diferentes e complementares um ao outro.
... sendo parte das “ordenanças da criação”, anteriores à queda, o casamento é um dom gracioso teu para toda a humanidade.

... deste-nos a graça de sermos filhos e a graça de gerar filhos.1
... a formação de um novo ser reflete a perfeição e a beleza com que fizeste todas as coisas.2
... dás um lar à estéril, e a torna feliz mãe de filhos.3
... fazes com que o solitário encontre um lar,4 não apenas pela via do casamento, mas também por meio de laços de afetividade na família maior.

... separaste um povo e com ele fizeste aliança, por vezes descrita como um relacionamento de pai e filho. Não estamos sós e perdidos; pertencemos a ti.5
... mulheres e crianças foram consideradas parte da comunidade da aliança e participavam da congregação que se reunia para a leitura pública das Escrituras e o culto.6
... ao longo da caminhada, famílias do povo da aliança reafirmaram seu compromisso: “Eu e a minha família serviremos ao Senhor”.7
... as famílias em peregrinação subiam juntas à tua casa. Era ocasião de aprendizado e de alegria.8

... mesmo que inúmeras vezes as famílias tenham se afastado dos teus caminhos, “o Senhor não as castigou como mereciam”9 e -- “fiel às promessas da aliança”10 -- continuaste chamando-as de volta.
... deste-nos o registro bíblico do exemplo de Oseias, que amou sua esposa adúltera, como símbolo do amor de Deus pelo seu povo, muitas vezes infiel e idólatra.11
... criaste mecanismos para que o povo continuamente confessasse seus pecados e fosse perdoado. A confissão familiar parece ter se tornado uma prática, como a oração de Jó por seus filhos.12
... usaste os patriarcas -- a despeito de seus pecados e do fato de suas famílias serem disfuncionais -- para cumprir os teus propósitos.

... a beleza do amor íntimo entre marido e esposa é celebrada no Cânticos dos Cânticos.
... criaste leis para proteger a família e limites para que ela se mantivesse dentro dos seus propósitos; não apenas leis morais, mas também leis econômicas e sociais, inclusive disposições específicas para garantir a dignidade e o acolhimento dos que não tinham família.
... “os filhos são herança do Senhor, é feliz o homem que tem a sua aljava cheia deles!”.13
... concedeste a bênção de homens e mulheres se tornarem avós: “Os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos”.14

... o teu amor e a tua bondade passam de geração em geração.15
... designaste a família como transmissora das promessas e dos preceitos da aliança: “Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar”.16
... mães e pais ensinaram a seus filhos o temor do Senhor, tal como a mãe de Lemuel: “Você é meu filho querido, a resposta de minhas orações... não gaste toda a sua energia com mulheres... fale a favor dos que não podem se defender”.17

... jovens atenderam e continuam atendendo ao chamado da sabedoria e não se deixam vencer pelas tentações da imoralidade, de uma vida egocêntrica,18 e trilham o caminho da maturidade.19
... homens e mulheres casados, por temor a ti, têm sido fiéis um ao outro e, em tempos de esfriamento da paixão conjugal, afastam-se do adultério por respeito ao Senhor.20
... Agur entendeu que encontrar uma companheira ou um companheiro era sinal da bênção do Senhor21 e registrou seu deslumbramento: “Há quatro coisas misteriosas que eu não consigo entender: a águia voando no céu; a cobra se arrastando nas pedras; o navio que encontra o seu caminho no mar; e o amor entre um homem e uma mulher”.22
... ainda que haja canseira e enfado para os avançados em anos, os vínculos familiares permanecem assim como sentido e propósito para as suas vidas.23

... quiseste que o povo do pacto fosse um atrativo para os povos vizinhos, a fim de que outras pessoas conhecessem o Senhor vendo a manifestação do teu poder nos feitos em Israel: “Que Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe, e faça resplandecer o seu rosto sobre nós, para que sejam conhecidos na terra os teus caminhos, a tua salvação entre todas as nações”.24

... as promessas do pacto registradas no Antigo Testamento cumpriram-se na pessoa e obra de Jesus Cristo, nascido na trajetória de uma família.25
... na genealogia de Jesus há quatro mulheres cuja estrutura familiar não era modelo, sinalizando mais uma vez que te serves de famílias imperfeitas.
... além de pais, Jesus teve irmãos e irmãs26 e viveu as fases do crescimento.27 Adulto, soube desfrutar da hospitalidade de um lar28 e realizou milagres que demonstraram sua preocupação com a família,29 inclusive a transformação de água em vinho numa festa de casamento.30

... Jesus nos ensinou a chamar-te Pai Nosso31 e apresentou o Senhor como um pai que aguarda de braços abertos o filho rebelde.32
... em Jesus, tu nos amaste quando ainda éramos pecadores e nos fizeste filhos teus, uma única e grande família.33
... Jesus visitou famílias pecadoras e elas se sentiram acolhidas em sua presença e motivadas a mudar.
... Jesus reafirmou e enfatizou o princípio: “Deus ‘os fez homem e mulher’. ‘Por esta razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e os dois se tornarão uma só carne’. Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém o separe”.34
... Jesus disse também que haverá alguns com dom de celibato, e isso não os torna menores do que os outros, tomando eles igualmente parte na família de Cristo.35
... Jesus, seguido pelos apóstolos, confirmou e ampliou as providências que tomaste na antiga aliança, visando regular e promover a família, como o cuidado com as viúvas, os órfãos e estrangeiros, e o quinto mandamento [não cobiçarás].36
... Jesus elevou sobremaneira o lugar das mulheres e das crianças e os apóstolos seguiram seu exemplo.37 Pedro usa a expressão “coerdeiras da graça” para explicar a elevação das mulheres a uma posição igualitária em Cristo.38
... Jesus ampliou o significado do conceito de família: advertiu que o amor à família não deve tomar o lugar do amor a Deus39 e explicou que existe uma grande família -- a igreja -- de vínculos profundos, caracterizada pelo amor40 e cujos membros são os que fazem a vontade de Deus.41

... as famílias da igreja nascente, do Novo Testamento, a exemplo das famílias do pacto,afirmaram seu compromisso contigo: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Foi assim com Cornélio, com o carcereiro de Filipos, com Lídia.42
... o relacionamento familiar entre os primeiros cristãos e sua hospitalidade eram virtudes admiradas e testemunho poderoso para os não convertidos.43
... parte do vocabulário usado para descrever o relacionamento entre os redimidos provém das relações familiares: somos feitos filhos do Pai;44 estamos na comunidadedos irmãos da qual Cristo “é o primogênito entre muitos irmãos”;45 a demonstração doamor é uma das evidências de que pertencemos à “família de Deus”.46
... as saudações de Paulo aos crentes em Roma revelam que muitos deles se reuniam e se estruturavam em torno de lares e unidades familiares.47

... o amor de Cristo pela Igreja é expresso como o amor de um esposo por sua esposa.48
... o encontro final entre Cristo e sua Igreja e o início do reinado eterno do Messias são narrados como um casamento, o encontro entre o noivo e a noiva, as bodas do Cordeiro.49
Senhor, temos recebido da tua plenitude e graça sobre graça.50

Notas
1. Gn 1.28
2. Sl 139.13-14
3. Sl 113.9
4. Sl 68.6
5. Dt 32.6; Sl 103.13; Pv 3.12; Is 64.8
6. Dt 31.12; Ne 8.2
7. Js 24.15; Ne 10.28-29
8. Sl 122
9. Sl 103.10
10. Ne 9.32
11. Os 1.2
12. Jó 1.4-5
13. Sl 127.3-5
14. Pv 17.6
15. Sl 103.17
16. Dt 6.6-9
17. Pv 31.1-8
18. Pv 3.27-28
19. Pv 3.3, 11-18; 4.18, 21-27
20. Pv 5; Jó 31.1-4
21. Pv 18.22
22. Pv 30.18-19
23. Sl 71.17-18
24. Sl 67.1-2
25. Mt 1.1
26. Mt 13.55
27. Lc 2.52
28. Lc 10.38-42
29. Jo 11.5-14; Mt 8.14-15; Lc 7.12-16
30. Jo 2.12
31. Mt 6.9
32. Lc 15.11-32
33. Jo 1.12
34. Mc 10.6-9
35. Mt 19.12
36. Lc 7.12; Mt 19.13-15
37. Ef 5.33; 6.1-4; 1Tm 5.4, 8
38. 1Pe 3.1-6
39. Lc 14.26
40. Jo 13.34-35; Mt 12.48-50
41. Mc 3.31-35
42. At 10.24-48; 16.15, 31-33; 18.8
43. 1Pe 3.1-7; Rm 12.13
44. Jo 1.11-13
45. Rm 8.29
46. 1Jo 3.14-16; Ef 2.19
47. Rm 16; At 18.18
48. Ef 5.25
49. Ap 19.7
50. Jo 1.16


QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.