Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Aliança Evangélica convoca igrejas para orarem pela situação do país

Niterói (RJ) – Manifestantes protestam contra aumento de tarifas transporte, os recursos aplicados na Copa e Olimpíadas e pedindo melhoras na saúde e educação. Foto: Fernando Frazão/ABrA Aliança Cristã Evangélica Brasileira divulgou ontem (dia 19) uma carta com uma “palavra evangélica” sobre as recentes manifestações públicas que se espalharam pelo Brasil. O pronunciamento reconhece a legitimidade dos fatos como expressões democráticas e convoca as igrejas evangélicas para orarem pela situação. 


Leia a seguir a carta, na íntegra:


O povo brasileiro vai às praças e às ruas – uma palavra evangélica

“Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados
filhos de Deus”. (Mt 5.9)

Estamos todos sob o impacto dos últimos acontecimentos em nossa nação. A presença do povo brasileiro nas ruas em escala de grandeza superlativa, sem dúvida alguma, traz a todos um sentimento de perplexidade e um chamado à reflexão.

A massa humana inconformada parece sinalizar a requisição categórica de um novo encaminhamento para as questões de políticas públicas no Brasil. Os avanços dos últimos anos não foram suficientes, até agora, para produzir um senso de protagonismo no povo brasileiro. Fica claro e evidente o descontentamento e o desejo por mudanças profundas e concretas.

Os atos pontuais de vandalismo praticados por uma ínfima parte dos presentes nesses ajuntamentos, não parecem desqualificar o movimento; talvez ajudem, isso sim, a explicar as muitas contradições presentes na configuração social brasileira. Há que se manter um cuidado crítico em relação ao que se recebe por parte das mídias. Já é sabido por todos que as mesmas muitas vezes atendem a interesses que nem sempre são os da coletividade.

De uma forma geral, as manifestações têm assumido um tom pacífico e propositivo.

As pautas são diversas: Transporte público, Corrupção nos setores públicos, Saúde precarizada, Educação de baixa qualidade e Violência urbana, estão entre os temas mais presentes.

O tom apartidário do movimento aponta para uma crítica severa às instituições políticas e na direção de um maior controle social da governança pública.
A Aliança Cristã Evangélica Brasileira se manifesta favorável à utilização dos instrumentos democráticos como afirmação de uma espiritualidade cristã encarnada, que incida nas questões de ordem pública para o estabelecimento da justiça social, conforme já declarou no documento Por uma Igreja Participativa e Cidadã http://www.ultimato.com.br/revista/artigos/342/alianca-crista-evangelica-brasileira-o-evangelho-todo-e-bom-e-necessario-para-todos

Outrossim, rejeitamos qualquer manifestação pessoal, pública ou institucional que se imponha pela violência ou por outro mecanismo que se identifique com a corrupção dos valores do reino de Deus para a vida em sociedade.

Assim sendo, conclamamos as igrejas brasileiras e de todo o mundo a unirem-se a nós em oração pela nossa nação.

Oramos pelas autoridades constituídas, para que tenham o bom senso e a coragem de apresentar respostas que sinalizem o início de diálogos na direção da garantia das demandas populares.

Oramos clamando para que a justiça e paz social, elementos constituintes do reino de Deus, predominem em cada pedaço de chão do nosso amado país.

Oramos pela dinâmica de amadurecimento de nossa democracia, trazendo a termo melhores dias para a nossa gente.

Oramos por nós mesmos, como igreja, para que sejamos sensíveis aos movimentos do Espírito Santo em meio aos processos conturbados, e façamos escolhas que reflitam a luz de Deus diante dos homens, através de testemunhos de boas obras e práticas da justiça.

Concluímos com as palavras* do Pr. Carlos Queiroz, embaixador da Aliança Cristã Evangélica Brasileira:

‘A justiça de Deus é bem maior que o conceito de justiça do ser humano. É baseada em valores como mansidão, sensibilidade, misericórdia e amor. Mas isso não quer dizer que a justiça de Deus é menor do que o mínimo exigido pela justiça humana, como o direito à habitação, alimentação, saúde, educação, lazer, liberdade de exercer a vocação humana.’”

Brasil, 19 de junho de 2013.
Aliança Cristã Evangélica Brasileira

Nota:
* Retirado do livro Ser É o Bastante.


Leia mais
Cristãos que abençoam a cidade
Protestantismo: vanguarda e atraso
A Falência dos Deuses



Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1008 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.