Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Fui Moço, Agora Sou Velho... E Daí? --

Fui Moço, Agora Sou Velho... E Daí?

Kléos Magalhães Lenz César

Páginas 112
ISBN 85-86539-19-8
Formato 14x21
Assunto Espiritualidade, Liderança, Vida Cristã
Ano 1999
Editora Ultimato
Código 40.32
Preço
sugerido
27,70
R$ 27,70
Embora já em processo de envelhecimento, Paulo, o apóstolo, reagia a qualquer forma de morbidez, de ociosidade e pessimismo, de visão amarga da vida. Para ele, o envelhecimento do corpo nada ou pouco importava, desde que pudesse atualizar seus ideais e propósitos a cada manhã.

Num dos poucos salmos que escreveu, Moisés deixou-nos esta oração: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio” (Sl 90.12). Esse “contar os nossos dias” não é a contagem regressiva de um ser pré-morto, não é a constante expectativa da morte. É, antes, a consciência da existência diária, do dia após dia, do aproveitamento de cada instante, do presente vivido intensa e sabiamente, com propósitos e ideais bem definidos.

Não entre na fila dos que, na velhice, aguardam ociosamente o dia da morte. Viva intensamente. A leitura de Fui Moço, Agora Sou Velho... E Daí? pode lhe ajudar nesse objetivo.
Prefácio

Introdução

1. Perfil físico da terceira idade
2. Perfil mental e psico-emocional da terceira
    idade
3. A terceira idade não significa decadência
    e tristeza
4. Viva feliz na terceira idade!
5. Relacionamento entre juventude e terceira idade
6. A responsabilidade da igreja para com a
    terceira idade
7. A oração deste idoso

Apêndice: A terceira idade merece cuidados
               especiais

Bibliografia

Autor de No Acampamento dos Anjos, Vocação e Fui Moço, Agora Sou Velho... E Daí?, Kléos Magalhães Lenz César foi professor de poimênica e hiperetologia no Seminário Teológico Presbiteriano do Rio de Janeiro por seis anos. Também foi pastor e professor de música no Instituto de Educação Clélia Nanci, em São Gonçalo, RJ.
O QUE DISSERAM

Livro de auto-ajuda para idosos

Maria de Fátima Malheiros

Envelhecer não significa estar na sala de espera da morte. Foi com este objetivo que o pastor Kléos Lenz César, da Igreja Presbiteriana, escreveu um livro de auto-ajuda para idosos. 

— Quando atingi a terceira idade estava deprimido e com a idéia de ser jogado para escanteio. 

"Fui moço, agora sou velho... e daí?" é fruto da meditação bíblica diária e da própria experiência de envelhecimento do autor, de 64 anos. Ele mostra como a Bíblia é generosa ao tratar a velhice e cita o Salmo 71.9 "Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares quando se for acabando a minha força". 

Temas variados 

A desagradável sensação de incomodar os outros; ansiedade quanto ao tempo restante de vida e até o vigor sexual são discutidos em passagens bíblicas, destacadas pelo pastor. 

Como resultado, ele vem recebendo cartas e telefonemas de idosos que conseguiram superar angústias após a leitura do livro. 

— A morte é a maior angústia do ser humano. Por ser desconhecida, assusta - crê o pastor. 

Mercado 

Segundo o religioso, finalmente estão descobrindo o potencial do público idoso e já é possível encontrar livros de auto-ajuda para esse segmento da população. Ele acredita que a proximidade de um novo milênio também incentiva as pessoas a reflexões mais profundas sobre a vida. 

Embora o livro seja pautado em temas bíblicos, o pastor fala dos avanços científicos e acredita que a Igreja Presbiteriana deve se engajar na luta para melhorar a qualidade de vida do idoso. 

— Ninguém pode considerar-se aposentado da vida - diz o pastor. 

Extra, 17/10/1999.



CÉSAR, Kléos Magalhães Lenz. Fui moço, agora sou velho... e daí? 1999. 109p. O livro começa apresentando o perfil físico e psico-emocional da terceira idade, por meio de numerosos exemplos e citações bíblicas. Barzilai, amigo de Davi, exemplifica a noção que o Idoso tem das limitações impostas pela idade. O profeta Samuel é lembrado quanto à desagradável experiência de uma aposentadoria compulsória. Moisés e Calebe exemplos de pessoas que se sentiam em plena forma apesar da avançada idade. Salomão, que escreveu Eclesiastes quando velho e Paulo, que parece nunca ter abandonado o hábito de ler e estudar, confirmam a palavra do salmista: "Na velhice darão ainda frutos". O autor mostra que a velhice deve ser vista como bênção divina, já que as Escrituras tratam do prolongamento dos dias como um cumprimento das promessas de Deus. Passagens bíblicas preciosíssimas relembram o cuidado de Deus pelos Idosos, como esta: "Até a vossa velhice Eu serei o mesmo,... levar-vos-ei, pois, carregar-vos-ei e vos salvarei" (Is 46.4). No capítulo Prepare-se para morrer, baseado no aviso dado ao rei Ezequias, o autor recomenda ao idoso pôr em ordem a sua casa: confessar pecados não confessados, perdoar e reconciliar-se com familiares e amigos, tornar providências relacionadas a questões jurídicas etc. O autor, ainda se utilizando de exemplos bíblicos, menciona alguns princípios que devem nortear o relacionamento entre a juventude e a terceira idade. E termina com um apelo à igreja brasileira: "A igreja em pleno Ano Internacional do Idoso, e às portas de um novo milênio, não pode manter-se omissa quanto à terceira idade. Seus líderes precisam rever sua postura e fazer alguma coisa, e já!"

Veritas, dezembro de 1999.

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
#1

Meuris Da Rocha Guimarães Junior

Salvador - BA

Eu não me contive! (Digo) não pude esperar o termino da leitura deste livro para comentá-lo.
Fantástico! O autor muito feliz, informa, conforta, anima , dentro da atual realidade. Em tempos, onde a política secular é de, passar uma visão utópica da terceira idade, onde 'eles' tentando massagear o ego dos nossos amados idosos, dizem que nada mudou, e que a chegada da, segundo 'eles' "melhor idade" (e existe a pior ?) não lhes traz algum limite, sabemos, que nossa terceira idade, de fato já é vencedora, e não precisa de bajulação, algumas vezes, expondo nossos “velhinhos” ao ridículo.

Muito bom !!!!!

Postado em 19/08/2009 às 15:13:58
#2

Carmen

Olinda - PE

O título chama a atenção. A resenha já nos deixa curioso para saber o conteúdo do livro. Não li ainda, mas recomendo que leiam.

Postado em 29/03/2012 às 16:39:48