Apoie com um cafezinho
Ol? visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Precisamos de mais Georges Müllers e tias Dejas

Por Délnia Bastos
 
Com 87 anos, todos os dias da semana, às 10 e pouco da manhã1, nossa  mãe, carinhosamente conhecida por tia Deja, recebe um ou mais colaboradores da Editora Ultimato para ouvir seus pedidos de oração e os pedidos relacionados à Ultimato e interceder por eles. Alguns pedidos são escritos e colocados numa caixinha. Este passou a ser o seu ministério principal desde que meu pai foi promovido para a glória três anos atrás. Minha irmã Klênia, diretora da Ultimato, organizou uma escala, de modo que isso agora faz parte da rotina da Editora. Aliás, quarta-feira é o dia dela e de dois cunhados (um deles meu esposo) participarem da escala. Minha mãe fala, toda importante: “Hoje é dia de orar com os diretores”.
 
Eu sempre valorizei a intercessão. Mas, confesso, nunca tinha me atentado para o fato de que ser intercessor é ser mais semelhante a Cristo. Sabemos que ser bondoso, perdoar, exercer paciência na provação – tudo isso significa semelhança a Cristo. Mas nunca tinha me ocorrido a questão da intercessão.
 
A Bíblia diz que temos um forte intercessor junto ao Pai (Lc 22.32; Rm 8.34; Hb 7.25)2.  Jesus intercedeu muitas vezes em sua vida na Terra. Na Oração Sacerdotal, ele intercedeu por seus discípulos e por aqueles que se tornariam discípulos no futuro – ou seja, intercedeu até por nós! Jesus intercedeu por Pedro para que sua fé não esmorecesse por completo, quando ele passasse pela peneira de Satanás (Lc 22.31-32). Mesmo na sua hora mais difícil, no Jardim do Getsêmani, Jesus intercedeu por seus discípulos que estavam dormindo de tristeza (Lc 22.45). A Bíblia também afirma que o Espírito Santo intercede por nós com gemidos inexprimíveis (Rm 8.26-27).
 
No caso de Pedro, Jesus intercedeu por ele e depois deu a ele a missão de interceder pelas ovelhas do rebanho: “tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos” (Lc 22.32); “apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21.15-17). Sem dúvida, uma das formas de apascentar ou cuidar do rebanho é intercedendo por ele. Pedro obedeceu, de “intercedido” transformou-se em “intercessor”. Tanto que, muito tempo depois, ele recomendou o mesmo aos outros pastores: “pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós” (1Pe 5.1-4).
 
Todos precisamos de intercessão e de interceder. A intercessão nos tira do egocentrismo e nos remete à necessidade dos outros, pelos quais devemos orar. A intercessão nos modela a sermos mais parecidos com o nosso Senhor.
 
Principalmente, nós, adultos, precisamos passar do leite espiritual (permanecermos “intercedidos”) para um alimento mais forte (sermos intercessores fiéis). Devemos lembrar dos jovens, adolescentes e crianças da nossa era que precisam tanto de intercessão! Devemos apresentá-los a Deus, com pedidos específicos por eles: por sua decisão por Cristo, pela perseverança na fé, por livramento de vícios, acidentes, doenças; pelos jovens que têm dedicado sua vocação a Deus. Há tanto para interceder! A lista não tem fim.
 
A Bíblia tem bons modelos de orações intercessórias. Além dos exemplos já citados e praticados pelo próprio Jesus, temos muitos outros. Somos chamados a interceder uns pelos outros, por mais trabalhadores para a Seara, pela paz na cidade, para que os dias de sofrimento sejam abreviados.
 
Que tal usarmos essas orações bíblicas e começarmos a praticá-las, principalmente pensando nas gerações seguintes à nossa?
 
Nossa mãe não foi a primeira a se tornar intercessora “na aposentadoria” (ela, de fato, só aposentou quando meu pai se foi). George Müller, com 70 anos, decidiu que era hora de se aposentar e dedicar-se exclusivamente à intercessão. Conta a história que ele possuía um caderno de notas com mais de 50.000 orações respondidas. Que Deus nos dê muitos George Müllers e tias Dejas que estejam na brecha, intercedendo pelas próximas gerações!

Notas
1. “Nossa” porque é mãe de cinco: minhas quatro irmãs e eu.
2. Inspirado na devocional de 11 de outubro, por Jonathan Simões Freitas. BONTEMPO, Marcos (org.). Refeições diárias: celebrando a reconciliação. Viçosa: Ultimato, 2018.
 
• Délnia Bastos, casada, mãe de três filhos e avó de um neto, serve na área de governança em algumas iniciativas de missão.

 >> Conheça o livro A Missão de Interceder, de Durvalina Bezerra
 
 

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.