Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Em meio à pandemia, projeto Cantos de Esperanza quer aproximar as pessoas por meio da arte

Por Phelipe Reis

Paulo César Baruk, de São Paulo; Carol Gualberto, de Belo Horizonte e Santiago Benavides, da Colômbia. Três cantores de lugares diferentes, unidos pela arte, compartilhando canções de esperança e convidando as pessoas ao encontro e ao afeto. Eles participam do projeto Cantos de Esperanza, que tem como objetivo, usar diferentes expressões de arte para manifestar empatia e solidariedade com os que sofrem, em meio à pandemia, e “trazer à memória o que nos dá esperança”.

Outros artistas e artesãos de muitos lugares estão sendo convidados a participar, colaborando com a sua arte, formando um clamor por paz e justiça, ecoando melodias de louvor e gratidão, recitando poemas de lamento e celebração, redigindo narrativas de amor e transformação. “Em tempos de pandemia, quando medos e incertezas proliferam, é um privilégio unir vozes e traços de celebração e lamento na construção de novas mesas e estradas de afeto, sobretudo com aqueles que experimentam situações de sofrimento, medo, abuso, violência, injustiça e opressão”, conta Zazá Lima, idealizadora do projeto.

Ela explica que a proposta do projeto é fazer circular nas redes sociais diferentes produções e processos artísticos, como canções, poemas, pinturas e textos, que promovam reflexões sobre como vamos ao encontro do outro neste tempo e como compartilhamos uma esperança comprometida com a dignidade humana e com a reconciliação de todas as coisas.

Zazá Lima faz um convite a escritores, poetas, pintores, músicos e artistas em geral: “Que a sua poesia e sensibilidade ajudem a ver e a rever, a criar novos horizontes, a imaginar novas realidades, a construir pontes de reconciliação, mesas de comunhão, ombros de consolação. Que o sopro do Espírito nos humanize, transforme e conscientize. Que as nossas armas se transformem em arados, que a terra menos cansada acolha sementes de amor, que juntos cultivemos hortas e jardins, que as árvores cresçam e se tornem lugar de encontro e hospitalidade e produzam frutos de paz e justiça.”

Cantos de Esperanza é uma iniciativa do projeto Retalhos de Esperança Internacional, fundado em 2014 por Zazá Lima com um grupo de amigas. Retalhos de Esperança tem como vocação celebrar e compartilhar a generosidade do Corpo de Cristo presente em diferentes culturas e realidades no encontro com pessoas em situação de refúgio e vulnerabilidade.

Para mais informações e saber como participar, entre em contato via e-mail cantosdeesperanzaok@gmail.com ou zazavieira@outlook.com.

Siga o Cantos de Esperanza no Instagram.

Leia mais:
» Corações e pássaros – um voo simples e profundo 
» Covid-19 - Arte para não esquecer
É natural do Amazonas, casado com Luíze e pai da Elis e do Joaquim. Graduado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e mestre em Missiologia no Centro Evangélico de Missões (CEM). É missionário e colaborador do Portal Ultimato.
  • Textos publicados: 74 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.