Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Onde está o socorro?

Olho para os montes, olho para as nuvens, é momento de incertezas, é um período de preocupações, de tensões, de dúvidas; o que aconteceu? O salmista também teve momentos como este: “Elevo os meus olhos para os montes: de onde me virá o socorro?” (Sl 121 1), perguntou ele.

Ele não acreditava e nem esperava por um socorro dos montes, nem um socorro das nuvens, quiçá de uma tempestade que caísse!

Alguém ou algo, em outro momento da história bíblica, mandou alimento, no deserto para os hebreus, sim o alimento caiu das nuvens, mas as nuvens não têm poder algum, nem os montes; o maná não veio deles, veio de Deus.

A nuvem protegeu esse povo durante o dia contra o sol, e à noite uma coluna de fogo os iluminava [alumiava], mas não era a nuvem e nem o fogo, criaturas de nosso Deus [que é o Criador e o Senhor de tudo], que faziam isso por sua própria iniciativa, por sua própria conta, era Deus quem fazia.

A criação, a natureza: seja o céu, seja a terra, sejam objetos [ídolos] de ouro, ferro, bronze, madeira; eles nada podem, nada sabem, nada fazem; O Senhor comandava [e ainda comanda] as nuvens, o fogo e tudo mais que Lhe convier em benefício do seu povo.

Todas as coisas estão sob Seu exclusivo controle e domínio!

De onde me virá o socorro perguntou o salmista, de onde me virá o socorro, pergunto eu nesse momento de dúvidas; para onde ir? Um irmão em uma capital (RJ) operado do coração, a situação é preocupante! Outro irmão, no interior de SP, será, também, operado hoje [21.05.2014].

Para que lado vou [ambos a 400 km daqui, um para um lado, e o outro no sentido inverso], não dá para ir a dois lugares simultaneamente; de onde me virá o socorro?

O salmista disse e eu também tenho essa certeza: o meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra; sim, só Ele socorre, só Ele nos cuida, só Ele é misericordioso, só Ele é Amor, só Ele está no controle de minha vida, só Ele está no controle das vidas dos meus irmãos, o mais velho e o mais novo; e os outros também.

Olhar para cima, supostamente para os morros ou para as nuvens, não revela que esperamos um milagre dessas criaturas [nuvens e morros], da natureza, esta também criatura do Deus Altíssimo, único, eterno e verdadeiro.

Só um tem o poder de dar a resposta, só um tem o poder de ouvir a nossa prece, só um tem um plano para cada um de nós, só Ele ouve o nosso clamor quando clamamos por socorro (Sl 46 1); Deus é o nosso refúgio e fortaleza, só Ele é o socorro bem presente na tribulação; somente Ele se inclina para nós para ouvir o nosso clamor (Sl 40 1).

O filho [o servo] é que deve se curvar para o Pai [o Senhor], mas é Ele quem se curva e nos ouve!

Lembro-me, agora, que há uns 25 anos, em uma reunião de oração, orávamos a Deus, em roda, umas 25 pessoas de mãos dadas; uma delas saiu de seu lugar, atravessou o círculo e me disse ao ouvido:

“Deus me revelou um texto para eu lhe dizer, abriu a Bíblia e leu: ‘E a minha família foi a escolhida! Sim, Deus fez um trato comigo, o seu acordo é eterno, final e selado.
Ele cuidará constantemente da minha segurança e do meu sucesso’” (2Sm 23 5 – Bíblia Viva). O contexto é outro, mas Deus tem confirmado a Palavra.

Deus é fiel, é uma certeza minha, e tenho tomado sempre essa posição: crer e propagar a fidelidade de Deus. Ele tem respondido aos nossos clamores, como família.

A cirurgia do irmão mais velho era de risco, o pós-operatório é de risco, mas ele passou pelo perigo, tem apresentado melhoras e está firme e melhor a cada dia.

O problema do irmão mais novo era menor do que esperávamos, o procedimento cirúrgico não foi invasivo, correu muito bem, teve alta da UTI rapidamente, no dia seguinte, e o pós-operatório, também, será mais tranquilo do que se imaginava. Fomos lá, eu e minha esposa, no dia 25.

A vida cristã não nos torna imunes a dores, a doenças, à morte; não nos torna isentos de problemas, dificuldades.

Deus nos torna fortes na fraqueza, Ele nos dá força na hora má (2Co 12 10), e nos sustenta para mantermos o equilíbrio, o domínio próprio.

Não é vanglória, ufanismo ou triunfalismo; é a certeza da ação do Poder de Deus em nós, e a convicção de que a Sua vontade é muito melhor que a nossa.

A Deus, pois, toda a honra, todo o louvor e toda a glória, Ele não nos deixa, não nos desampara (Hb 13 5), a Sua mão abençoadora está sobre nós.

O Senhor Jesus disse: “No mundo passais por aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo 16 33).

E assim tem sido a história dos Torres: aflições há, percalços aparecem, mas Ele nos dá força para passarmos pelo deserto, pelas tempestades, pelos perigos, pela dor.

Deus é Fiel!

[Este texto é o 300º. artigo semanal, e eu o escreveria comemorando essa bênção de Deus me inspirar todo esse tempo, quase seis anos ininterruptos, mas a mensagem acima, que Deus me soprou, falou mais alto: exaltar a bondade, a fidelidade, o Amor, a misericórdia de Deus para comigo e com minha família].
São Paulo - SP
Textos publicados: 677 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.