Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Seções — --

Coral

Ábner Elpino Campos

Louvor a quatro vozes

 

O canto em conjunto é uma das artes mais antigas da humanidade. A igreja cristã se vale deste estilo musical como forma de expressão de seus sentimentos ou ideias, dando origem ao canto coral. Inicialmente em uníssono, representado pelo canto gregoriano, até a divisão de múltiplas vozes nos coros modernos. Entretanto, essa prática musical vem sendo colocada em plano secundário no cenário atual das nossas comunidades cristãs, talvez perdendo espaço para as manifestações individuais e os hits do momento.

Em 2014 e 2015, quando participei da Conferência Anual da Sociedade de Hinos dos Estados Unidos e Canadá, fiquei impressionado com um evento chamado de “Hymn Festival”. Nele foram cantados hinos e canções, os conhecidos e tradicionais em nossos cultos, e os que apresentam melodias e textos novos, intercalados com leituras bíblicas e contextualização histórica. Alguns hinos foram em uníssono, outros, em cânone, e a grande maioria, a quatro vozes. Imagine participar de um encontro destes! Esta sociedade norte-americana acredita que o canto congregacional é um componente primordial do culto; incentiva novas melodias e novos textos; e valoriza as origens dos textos e das músicas utilizados em nossos cultos. Sua missão é encorajar e estimular o canto congregacional.

Essa ideia pode ser aplicada à realidade de nossas igrejas. Os hinos podem ser escolhidos de acordo com uma temática, como o calendário litúrgico ou mesmo uma festividade da congregação. Inicialmente os arranjos dos hinos novos devem ser em uníssono ou ao estilo de cânone, o que facilita seu aprendizado. Já os hinos conhecidos podem estar em vozes. As partituras precisam ser impressas no programa, com instruções para o canto, ou hinários com música devem estar disponíveis. Uma breve orientação precisa ser feita no início do festival para instruir os participantes. Os coristas da comunidade podem ensaiar previamente os arranjos e ficar distribuídos entre os congregados, assim podendo auxiliar os presentes. No festival de hinos todos devem ser estimulados a cantar. Quem conduz o festival é o regente ou ministro da música, auxiliado por grupo instrumental ou não. O ideal é que o evento não seja longo e cansativo, com duração máxima de uma hora.

Aqui nas comunidades luteranas de Porto Alegre e região metropolitana, já foram realizados festivais de hinos com as temáticas “Ação de graças” e “Advento e Pentecostes”. Para marcar o início das comemorações dos 500 anos da Reforma, foi organizado um festival sobre esse tema. O material usado está disponível em goo.gl/8SCUcC.

 

Ábner Elpino Campos é regente e coordenador do departamento de música da Comunidade Luterana da Cruz (IELB), em Porto Alegre, RS. Integrou a comissão técnica para a reedição do Hinário Luterano (abril de 2016). Integra o Conselho de Desenvolvimento Institucional da Sociedade Evangélica de Música Sacra e é colaborador do site Hinologia Cristã | camposabner@gmail.com

 

MAIS NA INTERNET

Vídeos de festivais de hinos realizados em Porto Alegre, RS

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.