Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Capa

Um ano fora de casa

 Os ricos mencionados na carta de Tiago dizem: “Hoje ou amanhã iremos a tal cidade e ali ficaremos um ano fazendo negócios e ganhando muito dinheiro” (Tg 4.13).

Cabe uma pergunta: quem está planejando deixar esposa e filhos em casa para ganhar muito dinheiro em outra cidade ou em outro país? Não se trata de uma pessoa necessitada de dinheiro para pagar o aluguel da casa, o açougue, o armazém, a farmácia e para mandar os filhos para a universidade.

Trata-se de um ricaço que quer ficar mais rico ainda; que já tem uma boa casa na cidade, mas quer comprar outra no campo e uma terceira na praia; que quer comprar mobília nova, guarda-roupa novo, carro novo, televisão nova, computador novo; que quer comprar tudo o que a propaganda consumista impõe. Esse ricaço tem investimento em bolsas de valores, tem conta em vários bancos, tem vários cartões de crédito, tem muito dinheiro debaixo do colchão, nos cofres que estão em sua casa e em suas empresas e tem um patrimônio enorme. Mas ele não está satisfeito. Quer mais e mais. O deus dele é o dinheiro. Vive em função do ter. Só pensa nele. É mão-fechada e orgulhoso. Gosta de vestir roupas caras, gosta de ostentação, gosta de poder (aquele que o dinheiro dá), gosta de pisar os outros, gosta de explorar os pobres e pagar salários baixos.

O irmão que pretende passar um ano fora para ganhar muito dinheiro ainda não descobriu que “o homem põe, mas Deus dispõe”. A morte súbita e prematura pode ocorrer. A quebra do dólar, a quebra do euro, a quebra do real são sempre possíveis. De repente a oferta continua, mas a procura acaba. Jesus diz que os tesouros aqui na terra podem ser devorados pelas traças, corroídos pela ferrugem ou -- pior! -- roubados (Mt 6.19). Os Provérbios recomendam: “Não conte vantagem a respeito dos seus planos para o futuro, pois você não sabe o que vai acontecer amanhã” (Pv 27.1). Risco muito maior corre aquele que ficou rico à custa de exploração, pois “a riqueza que é fácil de ganhar é fácil de perder” (Pv 13.11).

Porém é preciso fazer justiça. Se há maus ricos, há também bons ricos. Estes últimos dizem assim: “Se Deus quiser, hoje ou amanhã iremos a tal cidade e ficaremos por lá o tempo que o Senhor permitir para ganhar algum dinheiro e assim sustentar um casal de missionários na Costa do Marfim, outro casal na Mongólia e um terceiro em algum país árabe; para abrir casas de recuperação de drogados, abrigos para prostitutas que querem sair do meretrício, escolas para crianças deficientes, clínicas para portadores de HIV, lares para órfãos.” Os bons ricos dirão: “Vamos ganhar o máximo possível, com ética máxima, economizar o máximo e doar o máximo -- gastar 10% da receita conosco e com nossa família e encaminhar 90% de tudo para a construção do reino de Deus!”

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.