Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Seções — Cartas

Cartas

A Europa precisa de Jesus agora
Gostei tanto do conteúdo da edição sobre a Europa (julho/agosto de 2012), que estou orando para Deus confirmar no meu coração o chamado para ir. Sou evangelista na minha igreja e sinto vergonha porque é um cargo eclesiástico de muito peso e não tenho feito muito de relevante a respeito da evangelização. Oremos ao dono da seara para que mande ceifeiros.
Leandro Ricardo R. S. Souza, Barra do Garças, MT
 
Muito oportuna a matéria de capa da edição de julho/agosto. Estive na Europa e pude constatar que de fato o cristianismo passou por lá e hoje, pelo visto, migrou para outras regiões e nem parece que um dia foi tão intenso. Mas quero falar do meu repúdio ao machismo do autor em comparar a Europa com uma mulher divorciada (A Europa precisa de Jesus agora). Que história é essa que uma mulher divorciada não tem novas ideias, vive de esperanças, sonhos, lembranças amargas e de experiências desagradáveis e apatias? Sou divorciada, membro da igreja, superintendente da escola dominical de minha igreja, executiva de uma empresa e, acima de tudo, uma serva fiel ao Senhor. Lamentável a Igreja ter em seu meio homens que pensam que as mulheres só são realizadas e úteis quando na companhia de um homem.
Nélia Fernandes Machado, Rio de Janeiro, RJ
 
No dia 18 de julho eu estava arrumando minhas malas para uma viagem missionária e, enquanto isso, chegou à minha casa a edição de julho/agosto de Ultimato, A Europa precisa de Jesus agora. Para mim foi muito especial, pois o meu destino era justamente a Estônia, um dos países mais ateus do mundo. Obrigado a todos que fazem com que Ultimato permaneça séria em seus propósitos. Continuem firmes, pois vocês estão edificando muitas vidas, como a minha.
Davy Silva Barreto, Fortaleza, CE (publicado na página da Ultimato no Facebook)
 
Parabéns a Samuel Escobar pelo belo artigo A Europa em três tempos. Como professor de história, entretanto, não posso deixar de fazer uma pequena, mas importante observação. O que é dividido em antes e depois de Cristo é o calendário ocidental ou gregoriano, não a História. A História, segundo a periodização clássica, é divida em Pré-História (... – surgimento da escrita), Idade Antiga (surgimento da escrita –476), Idade Média (476–1453), Idade Moderna (1453–1789) e Idade Contemporânea (1789– dias atuais ). Tal divisão é muito criticada por seu eurocentrismo, mas ainda é utilizada para os currículos de história desde o ensino fundamental até o bacharelado em história. O calendário gregoriano (esse, sim, dividido em a.C. e d.C.) se soma a outros calendários, como o islâmico, o judaico, o chinês, o iraniano, entre outros.
Tiago Mendes, São Paulo, SP
 
O Mineiro com cara de matuto na Alemanha
Gostei muito da reportagem O Mineiro com Cara de Matuto outra vez na Alemanha (julho/agosto de 2012). Os comentários são ótimos, fiéis, breves e abrangentes. Sou alemão criado e convertido no Brasil.
Wilfried Körber, Campinas, SP
 
Graças à reportagem do Mineiro (julho/agosto de 2012), foi-me possível conhecer a Alemanha e sua história, contada de maneira diferente. Fortifiquei-me na fé em Jesus. Por meio dos testemunhos fui encorajada a continuar meu ministério de evangelização, obedecendo à Grande Comissão dada por Jesus.
Cleusa A. Faria Escoura, Ribeirão Preto, SP
 
Cristo e o anticristo: semelhanças sutis, diferenças vitais
“A diferença entre Cristo e o anticristo está na cruz.” Para discordar concordando, eu diria que, de certa forma, ambos estão na cruz. A diferença, então, está em quem bate o prego.
Rubem Amorese, Brasília, DF
 
Vamos voltar a “pecar” biblicamente?
Os textos de Bráulia Ribeiro têm me servido como alimento para o intelecto e para a alma e sido importantes componentes para aguçar a minha reflexão sobre o cristianismo e a cristandade. O artigo Vamos voltar a “pecar” biblicamente? (julho/agosto de 2012) me deixou com duas dúvidas. Seria possível citar algumas religiões além do cristianismo que comportam a afirmação “todas as religiões do mundo comportam definições, razões e características para o pecado”? Em quais textos, especificamente, Platão e Aristóteles lidam com a questão do pecado?
Allan Reis, Franco da Rocha, SP

-- Allan, os gregos viam o mal moral de uma maneira semelhante à dos hindus -- karma ou destino... As tragédias gregas são cheias de conflitos morais e a culpa foi tema dos escritos de Aristóteles. O mal -- o mal causado e o mal geral -- é tema frequente da filosofia. O mal causado é o que chamados de pecado. Como afirmei, todas as religiões do mundo lidam com a noção de mal e bem. É parte intrínseca de nossa humanidade ter uma medida social para o comportamento humano e esta noção de medida está no coração da maioria das religiões. É claro que a noção de mal varia de religião para religião, mas a ideia do mal moral está presente em todas elas.
Bráulia Ribeiro
 
Cidade em foco
Excelente o artigo da psicóloga Rosivânia Lúcia S. Tosta (Violência urbana e os impactos psicossociais dos acidentes de trânsito -- o que a igreja tem a ver com isso?, julho/agosto de 2012). É importante divulgarmos, mas também trabalharmos junto às autoridades para que se façam campanhas de educação cívica, de educação da afetividade, de respeito aos direitos humanos. Isso é importante, sim, e deve ser trabalhado também nas igrejas e por meio delas na própria comunidade. Vamos fazer realmente a diferença. Parabéns pela matéria. Muito boa e consistente.
Luciene Conte Kube, Araras, SP
 
Cuidado integral do filho de missionário
Achei interessante o artigo de Jan Greenwood sobre a realidade dos filhos de missionários (Cuidado integral do filho de missionário -- um desafio para a igreja, julho/agosto de 2012). Sou filho de missionários com experiência internacional, tendo agora finalmente regressado às minhas origens brasileiras depois de 20 anos. Embora a matéria seja muito boa, creio que foi muito resumida e sei que existe muito mais para ser falado sobre o assunto. Ficaria muito feliz se Ultimato aprofundasse mais no tema numa futura matéria.
Israel Pestana, Campina Grande, PB
 
Entrega
Quando li o artigo Entrega, de Rubem Amorese (maio/junho de 2012), lembrei-me do texto fascinante de 1 Pedro 2.23: “Pois ele [Jesus], quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente”. Jesus se entregava nas mãos do Justo Juiz, e certamente isso traz paz e sossego à alma. A melhor atitude é sempre “seguir os seus passos” (1Pe 2.21b).
Francisco José Defante, Rio de Janeiro, RJ
 
Não vou ter medo!
No artigo Não vou ter medo! (julho/agosto de 2012), descreveram-me de alto a baixo... Quero ter forças para mudar! Jesus, ajuda-me.
Izabel Cristina Jandre Lessa, Londrina, PR
 
Parece, mas não é...
Muito bom o artigo de Bráulia Ribeiro Parece, mas não é... (maio/junho de 2012). Tanto Macedo como Valdomiro são extremistas com a questão da prosperidade e cura. Ao mesmo tempo, temos o outro lado da moeda, vemos outra teologia extremista, que não crê na cura e tem uma mentalidade de crente coitado, sofredor. Creio que o maior problema brasileiro seja esse extremismo das duas pontas. É tempo de olharmos para as Escrituras não com nossos óculos teológicos, mas mais abertos a receber algo novo. O odre brasileiro precisa ser trocado para receber vinho novo.
Pedro Henrique Ferreira de Lima, Paulista, PE
 
Artes e artistas cristãos
Parabéns pela excelente revista que me edifica com sua linguagem simples, mas profunda e objetiva. Gostei muito de uma matéria especial sobre algumas manifestações artísticas (março/abril de 2012) e pensei que viriam novidades nas edições seguintes. Gostaria de ler mais sobre artes e artistas cristãos.
Eduardo Sena, Barueri, SP

-- O portal Ultimato abriga dois blogs sobre artes -- Arte em foco e L’Abrarte --, que, além de valorizar a arte em todas as suas expressões, tem divulgado o trabalho de diversos artistas e organizações.
 
Boletins on-line
Gosto muito de receber os boletins on-line. Eles complementam o conteúdo da revista impressa e são uma forma de fortalecer o relacionamento com os leitores e assinantes. Os artigos são interessantes e o layout, alegre e interativo. São sucintos na apresentação, mas convidam a gente a navegar pelo portal Ultimato (daí eu sempre acabo conferindo os blogs, o catálogo de livros etc...). Parabéns a toda a equipe!
Clarissa Souza, São Paulo, SP

-- Ultimato envia regularmente diferentes boletins eletrônicos para os seus leitores. Claro, o leitor escolhe o que quer receber. São eles: Últimas, Ultimato Jovem, Conversa Paralela e Da Redação. Além desses, você pode receber também boletins promocionais e de lançamentos, enviados semanalmente. Acesse www.ultimato.com.br e confira.
 
Deixem que elas mesmas falem
Confesso que é nos escritos de Ultimato que venho encontrando uma teologia concreta com as santas palavras dos Evangelhos. Um exemplo recente é que, como católica romana, atuo na Diocese de São José dos Campos, SP, em um grupo de reflexão para pais e mães enlutados e outro dia fui inspirada pelo artigo Sofrimento como parte da missão para poder trazer esperança e conforto a uma mãe que nos procurou com a sua dor de saudade. Quanto ao livro Deixem que Elas Mesmas Falem [primeiro livro publicado pela Editora Ultimato], fiquei feliz ao reconhecer ali a bondade de Deus para nós mulheres que vivemos pela Palavra de Deus. Encontramos Deus agindo em todas as esferas, nos chamando para o seu plano de salvação.
Maria Eliete Gomes, São José dos Campos, SP
 
Colocar Cristo na base é o único alicerce do conhecimento sadio e do aprendizado
Na edição de maio/junho de 2012, temos uma “Mais do que notícia” sobre as universidades de maior reputação do mundo e o articulista destaca que, entre elas, sete são de fundação protestante -- anglicanas, presbiterianas, metodistas, mas derrapa nas congregacionais. Ele coloca como fundadores de Harvard e Yale os calvinistas, como se os presbiterianos não o fossem. O fato é que a Universidade de Harvard (que se chamava New College e ganhou este nome de John Harvard, congregacionalista) e Yale (que foi fundada para se contrapor ao liberalismo e unitarismo que invadia Harvard) foram fundadas por congregacionais. Começaram para ser os colégios onde os pastores congregacionalistas separatistas que tinham vindo da Holanda e se estabelecido na Nova Inglaterra em 1620 fossem formados. Em história ou se conta tudo e com fidelidade ou não se conta. O congregacionalismo é esquecido em nossas publicações ditas cristãs. Estaria Ultimato fazendo o mesmo?
Joelson Gomes, João Pessoa, PB
 
Missão
Fico feliz em saber que Ultimato faz de seu trabalho sua missão. São incontáveis as vezes que as matérias serviram de bênção ao meu coração. Parabéns!
Rúbia Helena M. Rosa, São Paulo, SP
 
Cruz vazada
Depois de cinco anos de tentativas, finalmente colocamos uma cruz vazada numa rotatória da cidade de Vazante, MG. A cruz tem servido de ponte para evangelizarmos e aberto um canal de diálogo com aqueles que não entendem o significado nem da cruz nem da morte de Cristo na cruz.
Pr. Alencar Garcia Lotero, Vazante, MG

— Desde 1996, Ultimato divulga o projeto da cruz vazada por ver nela a possibilidade de anunciar a mensagem crucial do evangelho: a morte e a ressurreição de Cristo. A cruz vazada já foi instalada em pelo menos cinquenta localidades no Brasil. Para receber o projeto, envie uma mensagem para cartas@ultimato.com.br.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.