Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias — Mais do que notícias

Assassinatos e suicídios de indígenas em 2008

Assassinatos e suicídios de indígenas em 2008
De acordo com a assessoria de comunicação do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), da Igreja Católica, pelo menos 53 indígenas foram assassinados e 34 cometeram suicídio em nove Estados brasileiros durante o ano de 2008. Entre os mortos está uma criança de 6 anos que via televisão com a família quando foi atingida por uma bala de revólver atirada a esmo por um homem que atravessava a aldeia dos Guajajara.

Os brasileiros mais pobres e os mais ricos
O último relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento diz que “Os brasileiros mais pobres vivem em condições de desenvolvimento humano comparáveis às da Índia, mas os 20% mais ricos vivem em situação melhor que a fatia mais rica da população da Suíça, da Alemanha, do Canadá e da França”.

Não haverá paz no Oriente Médio no século 21
Quanto ao recente conflito entre israelenses e palestinos, o mundo não alimenta esperança alguma. O especialista em ciências da religião Luiz Felipe Pondé afirma categoricamente: “Não haverá paz no Oriente Médio neste século” (mesmo faltando 91 anos para o século 21 acabar). Paulo Ramos Borges Pinto, em carta à “Folha de São Paulo”, diz que “o ideal seria que os judeus nunca tivessem sido perseguidos na história e que os palestinos nunca tivessem sido despejados, que não fossem tão divididos e que tivessem aceitado a proposta britânica da época -- israelitas ‘ao sul’ e palestinos ‘ao norte’. O ideal seria que o Hamas não tivesse sido criado para dividir os palestinos (com o apoio pré-fático de Israel); que ambos convivessem sob um Estado único ou dois confederados. Mas, já que o ideal não existe, o racional é que cada povo respeite o outro em suas próprias fronteiras”.

Vamos tirar os mendigos da rua para não atrapalhar os pedestres
O “Jornal do Brasil” de 25 de janeiro publicou a foto de uma calçada em Copacabana, no Rio de Janeiro, que mostra um mendigo dormindo e cinco pessoas caminhando. A infeliz legenda diz que o mendigo que dorme na calçada “atrapalha os pedestres”. A mentalidade é esta mesmo -- os pobres incomodam os que não são pobres. Faz lembrar a tremenda parábola de Jesus sobre o comportamento do sacerdote e do levita que foram para o outro lado da rua porque havia um homem semimorto estendido na calçada. Faz lembrar também a insensibilidade da mulher a que se refere o “Diário de Ashbel G. Simonton”: coberta de peles, assentada num trenó, torcia para nevar, enquanto milhares de desempregados torciam para não nevar, já que o inverno estava muito rigoroso e o carvão para aquecer suas casas estava muito caro.

Desabamentos na terra de Uz e na Faixa de Gaza
Um vendaval derrubou a casa onde os dez filhos de Jó comiam e bebiam. No dia seguinte, Jó enterrou dez caixões de defuntos (Jó 1.18-19). No início de janeiro de 2009, uma bomba de uma tonelada derrubou a casa de quatro andares de Nizar Rayan, professor de direito islâmico e líder máximo do Hamas, não muito longe da terra de Uz, onde Jó morava. No dia seguinte, as autoridades da Faixa de Gaza enterraram dezoito caixões de defuntos, nos quais estavam Nizar, suas quatro esposas, nove dos seus doze filhos e outras quatro pessoas. Em número de vítimas, a segunda tragédia foi pior que a primeira -- e a causa do desabamento foi muito mais repulsiva.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.