Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Seções — Pastorais

O estranho hábito de sufocar a piedade e diminuir a devoção a Deus

Uma das acusações de Elifaz ao seu amigo Jó foi contundente: “Você sufoca a piedade e diminui a devoção a Deus” (15.4). A reprimenda foi severa demais, injusta e inoportuna, à luz do contexto. Mas ela pode ser muito justa e necessária em outros casos. Quem não gasta tempo para ouvir a voz de Deus por meio do Espírito Santo, por meio das Escrituras, por meio da boa consciência e por meio do arrependimento está de fato depreciando a devoção devida a Deus. Quem não se demora em oração na presença do Senhor está definhando e destruindo seu sentimento religioso. 

Nenhum crente consegue sobreviver sem os exercícios devocionais. São eles que ligam a criatura ao Criador, o pecador ao Deus Santo, o ignorante ao Pai das luzes (Tg 1.17), o arrependido ao Perdoador (Sl 99.8), o salvo ao Salvador, o redimido ao Redentor, o aflito àquele que é “auxílio sempre presente na adversidade” (Sl 46.1). 

A adolescente que reprime sistematicamente a vontade de comer para não engordar pode morrer de anorexia. Assim também qualquer pessoa que não satisfaz sua fome e sede interior de Deus acaba perdendo por completo e definitivamente seu interesse por ele. Enquanto Elifaz condena o apagão de Jó no que diz respeito à piedade, Paulo encoraja: “Exercite-se na piedade”, pois “o exercício espiritual tem valor para tudo porque o seu resultado é a vida, tanto agora como no futuro” (1 Tm 4.8, NTLH).
Para reforçar a sua observação, Elifaz interroga o homem da terra de Uz: “Você costuma ouvir o conselho secreto de Deus?” (Jó 15.8). Uma coisa está ligada à outra: aquele que sufoca a piedade diminui sua devoção, não tem como ouvir a voz de Deus. E deixar de ouvir o conselho de Deus é uma loucura. Por meio de sua voz, Deus consola quando há tristeza, Deus indica o caminho quando há confusão mental, Deus encoraja quando há desânimo, Deus acusa quando há pecado, Deus oferece perdão quando há culpa no coração, Deus dá idéias quando a mente está vazia. 

Existe uma correlação entre a palavra de Elifaz e a parábola do semeador. No caso da semente lançada entre espinhos, foram “a preocupação desta vida e o engano das riquezas” que sufocaram a semente do evangelho, tornando-a desastrosamente infrutífera (Mt 13.22). São essas mesmas coisas que sufocam também a piedade religiosa. A correria é tal que não há tempo nem para ouvir a voz de Deus nem para falar com ele. Por mais absurdo que pareça, às vezes é a correria eclesiástica que atravanca o exercício da piedade, transformando-a danosamente em mero ativismo.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.