Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias — Nacionais

Sepal reúne 1.600 pastores e líderes para falar sobre quebrantamento

O papel da Sepal (Servindo a Pastores e Líderes) “não é fazer eventos, mas ser usada por Deus para potencializar pessoas”, recorda o seu diretor, o pastor Josué Campanhã. A prova disso foi o sucesso do mais recente encontro da Sepal, realizado em Águas de Lindóia, SP, 8 a 12 de maio, com a presença de 1.600 líderes, vindos de 180 cidades de vinte estados brasileiros, membros de 450 igrejas e oitenta diferentes denominações. Muitos dos que participaram do Encontro Sepal para Pastores e Líderes disseram-se “atordoados” e “quebrantados”, pelo que Deus lhes falou por meio dos preletores. Não foi sem razão, porque o tema do encontro era quebrantamento de coração, para provocar mais autenticidade na vida e no ministério da liderança evangélica brasileira.


Evangélicos brasileiros passam oito dias no Irã e voltam entusiasmados com o povo

“Da próxima vez que você ouvir uma notícia sobre o Irã, ignore o estereótipo e ore pelos iranianos. Ore para que as pessoas sejam libertas dos que as oprimem, para que não sejam vítimas de violência — econômica, moral ou física —, para que os irmãos recebam um tratamento tolerante ao manifestar sua fé, para que o Irã erga seus olhos para o Senhor”. O recado é de Douglas Mônaco, secretário-geral de Portas Abertas Brasil, depois de uma viagem ao Irã, em abril de 2006. A equipe brasileira que passou oito dias no Irã descreve o povo como “gente amistosa, calorosa, extrovertida, comunicativa, gentil, bonita”. Douglas insiste: “É impossível estar no meio desse povo sem afeiçoar-se a ele”. Setenta porcento dos iranianos têm menos de trinta anos e mais de 90% são descendentes dos persas protagonistas dos livros bíblicos de Ester e Neemias. A comitiva brasileira ouviu clamores de ordem política, como, por exemplo, se é justo o povo ser submetido a mais sanções econômicas ou, ainda pior, ser vítima de ação militar.


Congregacionais enviam pesado e justo documento às autoridades constituídas

“Alertar que Deus destruiu Sodoma e Gomorra por causa de sua impiedade, violência e imoralidade. O presidente, seus ministros, deputados e senadores, autoridades nacionais, regionais, locais não escaparão impunes se não promovem a paz e a justiça. A Bíblia diz: ‘Não vos enganeis: Deus não se deixa escarnecer, aquilo que o homem semear, isso mesmo colherá’ (Gl 6.7) e ‘horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo’ (Hb 10.31).”
Este é o parágrafo final do documento público dirigido às autoridades de “nossa pátria”, elaborado pela União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil (a primeira denominação a se instalar no país, em 1855) e assinado por seu presidente, pastor Paulo Leite da Costa. Veja o documento completo

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.