Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Seções — Cartas

O pior artigo de Ultimato
Ultimato de março/abril trouxe vários artigos muito bons, como o precioso Redescobrindo a Palavra de Deus, de Valdir Steuernagel. Espantei-me quando li A ciência está empurrando com a barriga o fim da terra e dos céus. Não sei o que aconteceu, mas para mim é o primeiro artigo realmente ruim que li nesta revista. Fraco na idéia, no título, nas informações e na teologia. Tomara que seja somente um lapso, para o bem da Igreja de Cristo.
Fausto Fernandes Pereira
Inhumas, GO 


Augusto Cury
Estranhei a resposta dada a Laudemir Bacelar Jr. (“Cartas”, mar./abr.). Li vários livros de Augusto Cury e gostei. Fui abençoado pela maneira como Cury escreve sobre a inteligência de Cristo e entendo que há certa separação entre assuntos de fé e psicologia. Seus focos são científicos, mas exaltam Cristo, e isso é importante. Talvez não tenhamos paralelos entre livros de autores evangélicos. Continuarei lendo os livros de Cury enquanto não achar neles heresia. Por se tratar de autor de grande sucesso, há muito tempo entre os mais lidos, peço que Ultimato aprofunde suas pesquisas e volte a comentar o autor que até aqui considero cristão dos bons. A entrevista com Thomas Froese é simplesmente ótima!
Wilfried Körber
Vinhedo, SP 


Palmada light
A propósito da frase da psicóloga Maria Amélia Azevedo (“Frases”, mar./abr.), pode não existir palmada light, mas existe palmada de amor (Pv 3.12; Hb 12.10). Se aplicada corretamente, sim, é educação. Cito Salomão: “A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela” (Pv 22.15); “Não deixe de corrigir a criança. Umas palmadas não a matarão. Para dizer a verdade, poderão até livrá-la da morte” (Pv 23.13-14, NTLH).
Glen Bacon
Pedro Afonso, TO


Paróquias para padres casados
Durante trinta anos fui frei capuchinho. Saí da Igreja Católica Romana e, conseqüentemente, da Ordem dos Capuchinhos. Hoje, sou bispo da Igreja Católica Apostólica Brasileira, que rompeu com o Vaticano em 6 de julho de 1945. Sou casado e pai de família. Na condição de bispo, respondo pelas vocações. Aceitamos vocacionados: ex-seminaristas e ex-padres romanos que desejam sair, casar e continuar no ministério sacerdotal. Quero receber Ultimato.
Dom Elson Luiz Campos da Silva
Caixa Postal 50
Quadra 508 – Sul
70390-970 Brasília, DF 


Padre casado
Agradeço o envio de Ultimato, que leio de cabo a rabo. Aliás, é a única revista que estou recebendo no momento. Os dois últimos números estão excelentes. Gostei de ler e refletir. Sou padre católico casado.
Joel Urbanozo Bravo
Criciúma, SC


Reformas
A catedral católica é o cartão postal de nossa cidade. Recentemente, passou por uma reforma completa. Em 2006, nosso templo presbiteriano também está sendo reformado. Ambas as reformas foram patrocinadas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. Até aí, nada de mais. A grande alegria para nós, evangélicos, e até mesmo para os católicos mais tradicionais, é que, com a reforma das duas igrejas mais antigas de Valença, a aproximação dos seus guias espirituais tornou-se inevitável. Hoje, o relacionamento entre as duas alas cristãs, nas pessoas do padre Medoro e do pastor Luís André, é muito maior e mais respeitoso. No lado evangélico, percebo também que muitos irmaõs estão deixando suas vaidades doutrinárias de lado e pregando a salvação por Cristo Jesus. Antes, dava-se mais importância às doutrinas denominacionais e a pessoa de Jesus ficava em segundo plano. Escrevo sobre o assunto porque observo que, quando Ultimato publica artigos relacionados com padres e catolicismo, há grande divergência de críticas e opiniões na seção “Cartas”.
Getúlio Farina
Presidente do Presbitério Barra do Piraí
Valença, RJ


Desabafos
Fui criado em certa denominação. Deixei-a por causa do G-12. Nesta, deparei-me com um farisaísmo incrível, no qual muitos “crentes” colocam barba, cabelo, roupa, maquiagem, jóias, bijuterias acima de Cristo. 
Vicente de Paula Miranda
Joinville, SC 

Como alguém que se criou cantando belos hinos tradicionais, como “Quão bondoso amigo é Cristo”, “Santo, Santo, Santo”, e tantos outros, é com tristeza que tenho acompanhado a mediocridade dos nossos hinos modernos, com raras exceções. Há pressa em se produzir e gravar CD’s “para a glória de Deus”. Busca-se ficar livre dos “ultrapassados hinos tradicionais”. Enquanto isso, Chico Buarque, compositor e cantor secular, está lançando um CD depois de oito anos! Como estão as coisas, se ele fosse crente, seria apertado por certas gravadoras para gravar todo mês. Que Deus me perdoe; os louvores são para ele, mas que os hinos tradicionais eram melhores, isso eram.
Renato Canini
Pelotas, RS


Presidente Lula
Tenho observado que nas últimas edições de Ultimato há sempre alguns leitores fazendo defesa incondicional do presidente da República na seção “Cartas”. Sabendo-se que há corrupção generalizada, é lamentável que esta seção sirva de tribuna para adeptos de qualquer partido político, principalmente deste que está com o poder nas mãos. Isso não só vulgariza as páginas de “Cartas”, como empobrece a revista como um todo.
Egerineu Pereira de Mota
Goiânia, GO


Para amar o outro...
Ultimato
questiona, critica, informa e edifica minha vida. Refleti muito ao ler a “Carta ao leitor” de janeiro/feveiro. Entendo que para eu amar o outro eu preciso me amar muito. Se não me amo o bastante, não ofereço ao próximo um amor sadio, mas um amor insano. Muitos realmente têm se auto-idolatrado, mas existem também pessoas que sofrem porque não aprenderam a amar a si mesmas. Creio que a melhor postura em relação ao amor não é colocar o outro acima de mim, mas do meu lado.
Keyla Lellis
Seminarista do Instituto Bíblico das Assembléias de Deus
Divinópolis, MG


Bráulia
Poucas vezes li artigos que tratem discriminados e discriminadores com tanta leveza, sem, contudo, ser alienante, mas, ao contrário, denunciante, como o faz A história de Daisy, de Bráulia Ribeiro (jul/ago 2005).
Pedro Luis da Silva
Ministério Juvep
Itaporanga, PB 

O corre-corre das pessoas faz com que o pôr-do-sol ou a paisagem do viaduto do Chá se tornem cinzentos e invisíveis mediante o ciclo inexorável da pressa e da urgência da busca por aquilo que perece.
Lucimara Magalhães
São Bernardo do Campo, SP

A Bráulia escreve bem, mas mistura missões e política, missões e PT, missões e Caetano Veloso, missões e ação social.
Pr. Josué Martins
Santo André, SP


Mais Pedro e menos Paulo
Considerei a “mais do que notícia” Professor da UFPE sugere que a Igreja seja mais Pedro e menos Paulo bastante edificante, proveitosa e, ao mesmo tempo, instrutiva. Almejo que Ultimato continue sua trilha de edificação do povo de Deus.
Waldemar Silva
Feira de Santana, BA


Robinson Cavalcanti
Se o mundo de hoje é “muito parecido com o do tempo de Jesus” (“Reflexão”, mar./abr.), recebemos uma excelente notícia, pois é chegado o Emanuel, o Deus Conosco. Os humildes, os que choram, os limpos de coração, os que têm fome e sede de justiça são bem-aventurados. O maior evento da história humana — o Verbo encarnado — encarnou num mundo parecido com o nosso. Se é parecido com a “bagaceira” o é para o raiar da glória de Deus em nossa geração.
João Paulo Bandeira
Ananindeua, PA


Mark Carpenter
Discordo da carta de Daladier Lima dos Santos (jan./fev. 2006) em sua opinião sobre O melhor de 2005, de Mark Carpenter (nov./dez. 2005). Quem disse que não podemos aproveitar elementos da cultura geral para a nossa interpretação bíblica no mundo? Onde fica a graça comum? Como disse Thomas Froese, na entrevista publicada na edição de março/abril, “o problema não é a chamada vida secular, mas a vida que nega a presença de Cristo nas tarefas diárias da vida”. Bom seria se Carpenter tivesse uma segunda coluna com o melhor do bimestre!
Eleazar Venâncio Carrias
Breu Branco, PA 

Faz um tempo que li Onde estão os artistas? (“Arte e cultura”, jan./fev.) e me senti na obrigação de expor minha opinião. Gosto muito das artes em geral e, principalmente, do processo criativo. Isso realmente me empolga, fascina e intriga. Tenho certeza de que há artistas entre os cristãos, porém, às vezes me parece que eles têm de se manter parcialmente no anonimato, pois nem sempre a arte ou o artista são bem vistos em nosso meio. Há muito preconceito, até porque alguns artistas assumem uma imagem no mínimo estereotipada. Penso que o fato de Mark Carpenter ter criado um espaço para a divulgação e inclusão de artistas cristãos abre uma possibilidade para a verdade da existência deles e, como sabemos, a verdade liberta. Eles existem, sim!
Helena Korte
Curitiba, PR 


A diferença entre propaganda e testemunho
Hoje estamos verdadeiramente vivenciando tempos em que a propaganda tem sido a chave-mestra de muitas igrejas para atrair adeptos, enfocando a glória em suas próprias reuniões ou líderes, em vez de glorificar a Deus.
Niezio Barbosa Maciel
Caruaru, PE

Oportuno e esclarecedor o texto que mostra a diferença entre propaganda e testemunho (“Abertura”, mar./abr.). Ele veio tirar as escamas de muitos olhos encobertos, que ainda insistem em se autovangloriar ou vangloriar alguma denominação ou pessoa.
Florindo Fontana R. de Castro
São José dos Campos, SP


Coretta King
Estive em Atlanta um dia antes da morte de Coretta Scott King, viúva de Martin Luther King, em 30 de janeiro, aos 78 anos. Passei uma semana lá e pude ver que os negros estão mesmo integrados na sociedade e são parte importante na economia do Estado da Georgia. Então me lembrei várias vezes do pastor Luther King e fiquei feliz porque a luta dele não foi em vão.
Silvana Ribeiro Nobre
Piracicaba, SP

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.