Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Especial Brasil — Allinges César Mafra

Brasil, pátria minha!

Pátria minha, amada, mas não idolatrada,
que estás em toda parte por onde ando, deixando pegadas
que gostaria trouxessem fé e incentivo
a quem anda ao léu, perdido e aflito,
sem esperança, sem pão, sem Deus e sem vintém...

País nosso, por quem morremos todo dia, em cada tragédia,
cada assalto, morte ou seqüestro;
em cada rebelião do povo miserável, insatisfeito
sem comida, trabalho, remédio, segurança e agasalho,
à idolatria e à superstição escravizado...

Pátria minha, mas amada ainda quando distante
penso nas palmeiras onde canta o sabiá;
nas brancas areias onde o mar troveja em luminosas manhãs,
ou fantásticas noites de lua cheia iluminando imensas praias,
e deprimentes morros e favelas,
da cidade que ainda há de voltar a ser maravilhosa.

Como te amo, pátria!
Amo-te com muita tristeza, por te ver escravizada
a crendices que nada têm a ver com o Deus
que com capricho e carinho especiais te criou,
imensa fartura te deu, deitando sobre tuas terras
verdadeiros mananciais de riqueza inesgotável,
e rios gigantes, estuantes de majestade, como o Amazonas;
e selvas imensas impenetráveis, escodendo tesouros incalculáveis,
e flores e frutos em excesso, e levas de peixes, aves,
e exóticos animais; e terras e terras a perder de vista,
a não poder mais...

É doce e encorajador viver à tua sombra,
onde posso abertamente proclamar o nome do meu Deus!
Escolher-te-ia para morada sempre, ó pátria amada,
que inda hei de ver um dia desacorrentada,
seus cidadãos não simplesmente livres,
— por poder falar, sair, entrar, ir e vir —, mas livres por ver finalmente
seus velhos, jovens, mulheres e crianças sendo amparados,
tendo o que comer, o que vestir, o remédio, o estudo,
o agasalho e o sustento diário para não desistir ou morrer!

Em ti, pátria amada, estão enterradas as raízes da minha vida!
Por ti hei de lutar para que tenhas segurança e paz,
sejas bem-aventurada entre os povos,
não por assim te proclamares, mas por teres um governo correto,
justo e humano, líderes honestos e capazes,
proporcionando liberdade de viver a teus filhos queridos,
com vida digna, pão à mesa, trabalho garantido,
cuidado médico fácil e rápido, remédio à mão,
instrução eficiente à disposição!

Que eu seja uma nota harmoniosa, nada dissonante na tua orquestra,
pátria minha, um elo forte necessário à história universal!
E que rie realmente a liberdade para teus filhos
— os moços perdidos, os rebeldes alucinados,
os menores abandonados, os anônimos injustiçados,
no horizonte do Brasil, ó mãe gentil! 


Allinges César Mafra, escritora e estilista de textos para editoras, é autora do livro Vida e poesia em Davi e Jó.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.