Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Conversas com Lutero -- História e pensamento

Conversas com Lutero

História e pensamento

Elben M. Lenz César

Páginas 288
ISBN 85-86539-95-3
Formato 16x23
Assunto Biografia, Igreja, Liderança
Ano 2006
Editora Ultimato
Código 41.02
Preço
sugerido
54,30
R$ 54,30
Protestantes sentem-se na obrigação de admirar aquele que reformou a Igreja. Católicos romanos sentem-se na obrigação de questionar aquele que provocou o segundo Grande Cisma da Igreja. Mas a maioria das pessoas, em ambos os grupos, desconhece a história e o pensamento de Lutero.
Em Conversas com Lutero você vai conhecer o “pai na fé”, o “indigno evangelista”, o “javali da floresta”: Lutero. Vai ouvi-lo conversar sobre a vida dele, a fé, o evangelho, a Reforma, a Igreja, entre outros assuntos. Confira um trecho de conversa:

Repórter – A Igreja fracassou?
Lutero – A Igreja enquanto “esposa de Cristo” não fracassa nunca. O próprio Noivo declarou a Pedro que nem as portas do inferno poderão vencê-la (Mt 16.18). Mas, a Igreja hoje como “viúva de Cristo” é um fracasso. Sabe por quê? Porque há um fosso entre a Igreja real e a Igreja pretendida por Cristo. Em minha obra Explicações do Debate sobre o Valor das Indulgências, publicada em agosto de 1518, nove meses depois de eu enviar as Noventa e Cinco Teses ao arcebispo Alberto de Mogúncia, ao comentar a 62ª tese (O verdadeiro tesouro da Igreja é o santíssimo evangelho da glória e da graça de Deus), acredito que pus a mão na ferida básica ao denunciar: “Em boa parte da Igreja o evangelho de Deus é uma coisa bastante desconhecida”. Quando ouve esta dulcíssima mensagem de que Jesus é “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29), a consciência pecadora revive, e exulta em saltos de alegria, e fica cheia de confiança, e já não teme a morte, nem as espécies de penas associadas à morte, nem o inferno. As pessoas que temem as penas ainda não ouviram Jesus Cristo nem a voz do evangelho. Estão ouvindo a voz de Moisés.”
Prefácio
 
Apresentação 

I. Entrevistas com Martinho Lutero
   (Wittemberg, julho a outubro de 1545)

Um pouco da História...
1. Lutero e a vocação monástica
2. Lutero e o pavor do pecado
3. Lutero e a Sagrada Escritura
4. Lutero e a oração
5. Lutero e os papas
6. Lutero e Leão X
7. Lutero e o “fim do Mundo”
8. Lutero e o pequeno rebanho
9. Lutero e a universidade
10. Lutero e as noventa e cinco teses
11. Lutero e a Dieta de Worms
12. Lutero e a Reforma
13. Lutero e seus companheiros
14. Lutero e os turcos
15. Lutero e os judeus
16. Lutero e a imprensa
17. Lutero e a humildade

Um pouco do discurso...
18. Lutero e a maravilhosa graça
19. Lutero e a propensão pecaminosa
20. Lutero e a castidade
21. Lutero e o matrimônio
22. Lutero e as relíquias
23. Lutero e a excomunhão
24. Lutero e o comércio
25. Lutero e a virgem Maria
26. Lutero e a música
27. Lutero e missão
28. Lutero e a morte
29. Lutero e o “nosso amado Senhor
      Jesus Cristo”
30. Lutero e os três somentes

II. Entrevistas com a viúva Catarina
     von Bora (Torgau, outubro de 1552)
31. O casamento de Martinho Lutero
32. A morte de Martinho Lutero

III. Entrevista com o dileto amigo Filipe
      Melanchthon (Wittemberg, fevereiro de 1560)
33. O alter ego de Martinho Lutero

IV. Entrevista com o historiador João Knox
     (Edimburgo, outubro de 1572)
34. O barril de pólvora que Martinho Lutero
      acendeu

Cronologia
Lugares históricos para Lutero
Mapas
Fotos
Bibliografia
Índice onomástico 
 
Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato, Elben César é autor de, entre outros, Por Que (Sempre) Faço o Que Não Quero?, Refeições Diárias com Jesus, Mochila nas Costas e Diário na Mão, Para Melhor Enfrentar o SofrimentoConversas com Lutero, Refeições Diárias com os Profetas Menores, A Pessoa Mais Importante do Mundo, História da Evangelização do Brasil e Práticas Devocionais. Ex-presidente da Associação de Missões do Terceiro Mundo e fundador do Centro Evangélico de Missões, do qual é presidente de honra, é também jornalista e pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Viçosa.

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
#1

Claudisney Maciente

Perdigão - MG

Apesar de ter lido apenas algumas partes, estou convencido de que a História, que é tratada em nossos ensinos, e hoje é ensinada aos nossos filhos, nunca chegou e nem chegará ao ápice. Hoje vemos um mundo todo corroído pela inversão da verdade em mentira e a mentira em verdade. Somos um povo que fomos ensinados apenas pela Igreja que é considerada pelo "Doutor", de Igreja viúva de Cristo. Mas, graças ao bom Deus, saímos desta condição e hoje podemos dizer que o que Lutero escreveu ou até mesmo profetizou, está patente aos nossos olhos e estamos vivendo algo que não se diferencia do passado.

Postado em 28/10/2006 às 12:15:23
#2

Eraldo Angelo

Pelotas - RS

Bom, uma coisa é descobrir que Lutero enviou as teses. Outra é negar que as tenha afixado na porta da igreja de Wittenberg. Ele poderia ter feito as duas coisas. Fiquei com a impressão de que a manchete quer sensacionalismo, o que não pega bem.

Postado em 08/11/2006 às 15:38:37
#3

Lucas De Castro Horta Parisi

Belo Horizonte - MG

Ótimo livro. Mais um pra questionar a história e fazer comparações. Exalta-se a vontade do que tem fé em contraste ao que prefere viver cego.

Postado em 05/01/2007 às 13:19:44
#4

Michel Santos Silva

São Vicente - SP

Também acredito que a manchete seja bem marketeira! Será que o Elben quer fazer barulho e fazer o público comprar o livro?

Postado em 18/01/2007 às 11:28:24
#5

Ernandes Noronha

Brasília - DF

Parece-me mais com uma necessária crítica ao cristianismo moderno. Não li o livro, mas já consigo perceber que é uma ótima crítica ao legalismo das igrejas cristãs do século 21, que muitas vezes mais se parecem com "pedágios" de acesso ao Céu e pouco se assemelham na sua essência, com a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. Por isto o autor intitula a igreja atual de "viúva de Cristo", pois da forma como os cristãos andam atualmente faz parecer que Nietzsche estava certo quando disse que "Deus está morto". O livro parece ser relevante e filosófico-teológico.

Postado em 06/07/2007 às 19:40:21
#6

Anderson Fogassa De Souza

Caraguatatuba - SP

Não pude ler ainda mas vou encomendar o meu esta semana ou a outra, pois aparentemente ele fala de como a igreja tem perdido, sua espiritualidade,  principalmente as neopentecostal, só falam (pregam) prosperidade, de e ficará abençoado etc etc etc. Cada dia mais ficam como a basílica de São pedro em Roma, que Lutero tanto foi contra, pois não tinham que tomar dinheiro dos fiéis com ofertas dela e de cá, crescem prédios e nomes de igrejas, e ídolos Pregadores e cantores, mas a espiritualidade diminui, abusam da fé como o papa fez na época de Lutero oferta para fazer a basílica de São Pedro.

Postado em 22/12/2007 às 11:23:28
#7

Patricia Neme

Palmelo - GO

Livro elaborado de forma inteligente, o que facilita em muito a leitura por pessoas de fraca ou pouca cultura, além de nos conduzir através da história, leva-nos a repensar o que hoje nos é apresentado por muitas igrejas e líderes evangélicos, tão distantes dos princípios ensinados pelo Senhor Jesus, bem como da vida coerente de quem lutou pela consistência da fé. Excelente!

Postado em 29/04/2008 às 15:39:29
#8

Anderson Fogassa De Souza

Caraguatatuba - SP

Agora, depois de ler o livro, posso dizer que todos que se acham cristãos no sentido literal, que são discípulos de Cristo devem comprar, ler e emprestar para o maior números de amigos católicos possível, eu após ler fiquei tão impressionado, que comprei mais 2 e presenteei um de meus Pastores, com certeza ele usará bem esta excelentíssima ferramenta de trabalho, glórias a Deus por este livro inspirado pelo Espírito Santo...

Postado em 29/05/2008 às 06:31:40
#9

Joelson Raulino Da Silva

João Pessoa - PB

Vejo nos reformadores grandes pesquisadores que não foram capazes de convegir suas teses em um padrão doutrinário (Lutero, Calvino, Armínio e etc) e em consequência desta pluralidades de linhas doutrinários a religião (cristianismo) perdeu a visão de reino se tornando parte de mais um grupo denominacional exclusivista.

Postado em 08/06/2008 às 20:39:48
#10

Fabiano Portela Barroso

Fortaleza - CE

Leitura agradável principalmente pelo uso do estilo entrevista. Apresenta o pensamento e motivações de Lutero e vem enriquecido com fatos históricos relacionados ao Papado e a Igreja Católica. Me chamou a atenção a questão da Grande Comissão na passagem em que o Doutor diz: "...era para ser cumprida... pelos apóstolos e naquele tempo", deixando claro a importância dada à reforma e o esquecimento do ide de Jesus, desprezou o trabalho missionário. Esperava mais sobre as críticas anti-semitas feitas a Lutero, no entanto recomendo aos amantes da história da Igreja e pensamento de Lutero.

Postado em 24/06/2008 às 17:29:10
#11

Daniel Santana De Oliveira

Maceió - AL

O livro foi bem escrito por Elben, em forma de perguntas e respostas. O leitor viaja no tempo e "vê" Lutero respondendo pelo Espírito tudo o que o repórter dispara. Em meus livros sempre grifo palavras inteligentes e nesse foram inúmeras, porém cito esta: "se quizermos converter o ímpio, isso deverá ser feito com a boca, pela pregação".

Postado em 25/06/2008 às 23:18:20
#12

Robson Santos Sarmento

São Paulo - SP

O livro Conversas com Lutero, sem hesitar, leva-nos a desfiar um bate-papo anelado por uma pujante teimosia em trabalharmos em benefício da vida. Não é por menos, a reforma encabeçada por ele e todo o desdobrar de mudanças e transformações tiveram no espertar da palavra o fator primal. Por isso, a presente obra nos desafia e fomenta a também indagarmos: por qual motivo relutarmos em vivenciarmos e experimentarmos a possibilidade de uma reforma, no limiar do Séc. XXI. Cabe frisar, a começar por nossas vidas.

Postado em 10/01/2009 às 16:47:46
#13

Paulo Bronzeli

Sao Paulo - SP

A degustação serviu para abrir um apetite de milhares de leões não dá para não ler; evidentemente estaremos lendo pela ótica do autor e aplicaremos nossa otica ao texto. Ele selecionou o que selecionou o que selecionaria você? eu? Somos interpretes e cada qual tem a sua forma de ler nas linhs, entre linhas, pulando linhas e assim alinhavamos a interpretação que será muito bem aceita por alguns, quiça muitos; e outros tantos rejeitarão e ainda outros farão dura e persistente critica. Amei que li e quero ler mais, minhas impressões ou interpretações depois
Bronzeli

Postado em 29/10/2009 às 10:36:55
#14

Charles Veloso Cunha

Serra - ES

Ótimo livro! Fui presenteado por um amigo com esta obra, li e já o emprestei a dois amigos que também gostaram.
O formato é ótimo e proporciona uma leitura agradabilíssima. Proporcionando, inclusive, material para estudos e colóquios em pequenos grupos.
Uma ficção com fatos e dados historicamente documentados. O repórter perguntava e a personagem Lutero apresentava respostas condizentes com a história documentada e com os textos do reformador. Não tenho embasamento teórico para discordar com os posicionamentos atribuídos a Lutero, mas acho que são todos muito possíveis, prováveis e razoáveis.
Parabéns ao Elben César!
Recomendo.

Postado em 18/06/2013 às 03:18:35