Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Cartas a Ultimato (1968-2008) -- Uma radiografia do cristianismo brasileiro

Cartas a Ultimato (1968-2008)

Uma radiografia do cristianismo brasileiro

Elben M. Lenz César

Páginas 304
ISBN 978-85-7779-020-3
Formato 16x23
Assunto História, Liderança
Ano 2008
Editora Ultimato
Código 41.23
Preço
sugerido
54,30
R$ 54,30
Esta coletânea reúne pouco mais de setecentas das milhares de cartas publicadas pela revista Ultimato no espaço de quarenta anos.

Organizadas por tema, as cartas aqui reunidas foram escritas por um grande número de autores, homens e mulheres, de todos os cantos do Brasil e de alguns países do exterior, eleitores de direita e eleitores de esquerda, cristãos humildes e cristãos arrogantes, protestantes que mandam católicos para o inferno e católicos que mandam protestantes para o inferno.

Cartas a Ultimato é uma espécie de radiografia do cristianismo brasileiro, com suas luzes e sombras. Como vozes saídas de um confessionário, sem acanhamento, sem rodeios, todas as cartas demonstram a posição religiosa dos missivistas, banhada ou não de tolerância.


* * *

Graças às cartas do padre Antonio Vieira é possível conhecer os acontecimentos políticos, sociais e religiosos do século 17. Assim também, Cartas a Ultimato é uma espécie de radiografia do cristianismo brasileiro. Revela a religiosidade, as idiossincrasias, a intolerância, as birras, a confissão de fé e até os “ventos de doutrina” que varreram as diferentes igrejas e movimentos religiosos nos últimos 40 anos no Brasil.
Apresentação 

PARTE 1 — TEMAS POLÊMICOS
1. O reino de Deus é maior
2. Certeza da salvação
3. Escatologia
4. Teologia da libertação
5. Pentecostalismo
6. Um pastor sem estrume
7. A Bíblia em linguagem popular
8. Harry Potter
9. Homossexualidade

PARTE 2 — TEMAS POLÍTICOS E SOCIAIS
10. Política
11. Cuba
12. 11 de setembro de 2001
13. Nordeste
14. Epístolas da prisão 

PARTE 3 — TEMAS CATÓLICOS
15. Cartas católicas
16. Maria de mais e Maria de menos
17. Imagens
18. Aparecida do Norte
19. Celibato clerical
20. Padres casados
21. Padres sem castidade 

PARTE 4 — TEMAS HISTÓRICOS
22. Por acaso...
23. A dança do “quero” e do “não quero”
24. As primeiras cartas
25. Apoio inicial
26. As cartas do bom velhinho
27. Os bem velhos
28. Os bem jovens
29. Cartas encorajadoras
30. Cartas acusatórias
31. Desabafos
32. Curiosidades
33. Notícias do exterior
34. Jesus
35. Bom para evangelizar
36. Testemunhos pessoais
37. Paulo no Pacaembu
38. O Mineiro com Cara de Matuto
39. Cartas sobre cartas 

Índice onomástico
Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato, Elben César é autor de, entre outros, Por Que (Sempre) Faço o Que Não Quero?, Refeições Diárias com Jesus, Mochila nas Costas e Diário na Mão, Para Melhor Enfrentar o SofrimentoConversas com Lutero, Refeições Diárias com os Profetas Menores, A Pessoa Mais Importante do Mundo, História da Evangelização do Brasil e Práticas Devocionais. Ex-presidente da Associação de Missões do Terceiro Mundo e fundador do Centro Evangélico de Missões, do qual é presidente de honra, é também jornalista e pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Viçosa.
O QUE DISSERAM

Radiografia do cristianismo brasileiro
Dom Redovino Rizzardo*

Em comemoração aos 40 anos de seu nascimento, a revista evangélica "Ultimato" publicou, em meados de 2008, uma coletânea de cartas das milhares que recebeu ao longo de seus quarenta anos de existência (1968-2008).

O Pastor Elben M. Lenz César, que é, ao mesmo tempo, diretor e fundador da revista, assim explica a iniciativa que tomou: Organizadas por tema, as cartas aqui reunidas foram escritas por um grande número de autores, homens e mulheres, eleitores de direita e eleitores de esquerda, cristãos humildes e cristãos arrogantes, protestantes que mandam católicos para o inferno e católicos que mandam protestantes para o inferno. "Cartas a Ultimato" é uma espécie de radiografia do cristianismo brasileiro, com suas luzes e sombras. Como vozes saídas de um confessionário, sem acanhamento, sem rodeios, todas as cartas demonstram a posição religiosa dos missivistas, banhada ou não de tolerância.

Infelizmente, pelas tarefas e preocupações que me são reservadas, não disponho do tempo suficiente para ler todos os livros, revistas e jornais que me chegam às mãos. Contudo, com "Cartas a Ultimato" foi diferente, inclusive porque, como faço com outros periódicos, o que leio logo e com prazer são sempre as manifestações dos leitores, através de suas cartas. São elas que revelam a alma do povo brasileiro, certamente mais do que artigos compilados em escritórios, diante do computador, coletando e costurando textos roubados do google.

Devo reconhecer que o Pastor Elben foi muito feliz na iniciativa que tomou, explicitada no subtítulo que escolheu para a sua obra: "Uma radiografia do cristianismo brasileiro". A meu ver, "Cartas a Ultimato" espelha a realidade de cristãos que, em sua maior parte, se ufanam por pertencer à Igreja de Cristo, mas que nem sempre demonstram o mesmo orgulho pelos irmãos e irmãs que o Senhor lhes concede. Além de assinalarem uma variedade imensa de mentalidades e de atitudes – talvez maior do que se poderia esperar de Igrejas alicerçadas no mesmo Evangelho –, as 700 cartas recolhidas pelo Pastor Elben levantam uma série de dúvidas e perguntas relacionadas com o tipo de cristianismo que foi e continua sendo implantado no Brasil.

À primeira vista, a impressão que se tem é de estar navegando numa Arca de Noé. Grande número das cartas mostra uma face do "Povo de Deus" diferente da que se poderia esperar: agressivo e radical, demonstrando que, em matéria de religião, o fundamentalismo pode estar mais presente que em qualquer outro campo. De fato, ao terminar a leitura do livro, comecei a ter sérias dúvidas sobre a promessa de Jesus: Haverá um só rebanho e um só pastor (Jo 10,16), tantas são as agressões e hostilidades de vários missivistas, independentemente se católicos, evangélicos ou sem uma denominação específica.

Mas há também o outro lado da medalha, demonstrando que, quem conduz a história é Deus. Com um amor infinito e paciente, a sua tarefa não se resume em consertar o que o homem estraga... As "Cartas a Ultimato" revelam que é muito maior o número de pessoas esclarecidas, maduras e convictas da fé que receberam. Com humildade e confiança, através da oração e da caridade, procuram reviver em si os sentimentos e as atitudes de Cristo: "O bom pastor dá a vida por suas ovelhas" (Jo 10,11), sobretudo por aquelas que se afastaram do rebanho. É assim que as conversões acontecem por toda a parte, independentemente se através de católicos ou de evangélicos.

Encerro com duas cartas que falam dos frutos produzidos por quem vive a fé. A primeira é de um evangélico. "Meu nome é Florisvaldo de Oliveira, mais conhecido como ex-cabo Bruno. Digo ex porque o cabo Bruno morreu quando bateu de frente com Alguém mais valente que ele, o Senhor e Salvador Jesus Cristo, em junho de 1991. Desde então, sirvo ao meu Senhor com alegria, dedicação e fidelidade. Hoje, sou evangelista, capelão e responsável pelo trabalho aqui na Penitenciária. Triste é o cenário que nos rodeia. É como um vale de ossos secos. Construímos aqui um templo de 8 x 15 metros, duas salas e dois banheiros. Evangélicos de seis denominações diferentes nos reunimos nesse templo. Estou preso há 21 anos, porque, como policial militar, me tornei justiceiro e fazia justiça com as próprias mãos. Cometi dezenas de homicídios".

A segunda, de um católico: "Sou leitor desta conceituada revista. Como católico, acredito que o Espírito Santo está em todas as denominações e sopra onde quer. A Igreja Católica passou por muitas transformações. Só na pequena cidade onde estou, há 69 círculos bíblicos. Sou leigo, e juntamente com outro universitário, viemos para o nordeste de Minas para ajudar na entrega do Evangelho. Como salário, temos casa e comida, alegria e confiança no Senhor. Mais de duzentos jovens católicos de uma cidade do sul abandonaram família e foram levar o Evangelho à região amazônica. Uma Igreja que se renova no Senhor é uma Igreja maravilhosa!".

* Bispo de Dourados (domredovino@terra.com.br)

Jornal O Progresso, 09/01/2009

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
#1

Sérgio Montezuma

Manhuaçu - MG

O livro "Cartas a Ultimato" veio para valorizar a opinião e o pensamento de seus leitores espalhados pelo Brasil e também no exterior. Muitas dessas cartas trouxeram edificação e também desabafos de pessoas com opiniões literalmente contrárias e aborrecidas com as matérias editadas, e nem por isso deixaram de ser editadas; mostrando assim a maturidade dessa revista que tem sido benção por onde ela passa. A Editora Ultimato meus parabéns por seu novo lançamento.

Postado em 29/07/2008 às 15:57:14
#2

Daniel Santana De Oliveira

Maceió - AL

Esse livro é genial, pois ficamos conhecendo melhor a revista e a editora. Em cada seção dos temas propostos, chove comentários os maia diversos. Esse livro também é histórico, pois nos conta a história da revista em cartas e também nos remete no tempo. Adorei ler sobre o que pensa os leitores acerca dos assuntos. Sofri e amei ao mesmo tempo. Deveria haver uma continuação. Essa editora e a revista foram aprovadas por Deus, pois tem uma coisa muito importante que notei nesse livro : liberdade! Sem haver liberdade de pensamento nada dá certo. Deus é quem julga, só ele e mais ninguém. Todo bom leitor de Ultimato deveria ler esse livro e tirar por si suas dúvidas acerca de Ultimato!

Postado em 18/01/2016 às 21:32:34