logo ultimato
  • Seja bem-vindo Visitante!
  • Cadastre-se
  • facebook
  • twitter
  • rss
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Esqueci minha senha

A Missão Cristã no Mundo Moderno

John Stott

Páginas 160
ISBN 978-85-7779-039-5
Formato 14x21
Assunto Liderança, Missões, Teologia / Doutrina
Ano 2010
Editora Ultimato
Código 41.37
Preço 34,80
R$ 34,80
Alguns enfatizam que a missão cristã é “proclamação verbal” ou “salvar almas”. Outros se concentram em questões de justiça social ou projetos de desenvolvimento. Não podemos fazer ambos?

Nessa obra clássica, John Stott apresenta definições cuidadosas de cinco termos-chave — missão, evangelismo, diálogo, salvação e conversão — e, biblicamente, oferece um modelo de ministério para as necessidades espirituais e físicas das pessoas. Para o autor, a missão cristã é tanto evangelização como ação social.

A Missão Cristã no Mundo Moderno é uma abordagem equilibrada e holística da missão que, a partir do exemplo de Jesus, aponta o caminho para o trabalho da igreja no mundo.

* * *

“Ninguém aborda com tanto cuidado e clareza a missão da igreja no mundo como John Stott. Notavelmente estimulante e esclarecedor.”
Visão Mundial
Apresentação
Prefácio
Introdução: Palavras e seus significados
1. Missão
2. Evangelismo
3. Diálogo
4. Salvação
5. Conversão
Notas
Conhecido no mundo inteiro como teólogo, escritor e evangelista, John Stott é autor de mais de quarenta livros, incluindo A Missão Cristã no Mundo Moderno, A Bíblia Toda, o Ano Todo, Por Que Sou Cristão O Incomparável Cristo, A Mensagem de 2 Timóteo, A Mensagem de Atos, A Mensagem de Romanos, A Mensagem de Efésios, Ouça o Espírito, Ouça o Mundo, Sinais de Uma Igreja Viva, A Verdade do Evangelho e o campeão de vendas Cristianismo Básico. Falecido em 27 de julho de 2011, Stott foi pastor emérito da All Souls Church, em Londres, e fundador do London Institute for Contemporary Christianity. Foi indicado pela revista Time como uma das cem personalidades mais influentes do mundo.

Opinião do leitor

comentar
Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
#1

H. C. Galvão

Pindamonhangaba - SP

Missão (missões) é o que fomos enviados a fazer. Em evangelismo proclamamos. No diálogo, ouvimos.
Salvação: o que almejamos que outros recebam.
Conversão: o que fazemos, quando voltamos a Cristo e quando levamos outros a Cristo.
Os 3 Aspectos do Evangelho ou Como Articular o Evangelho: Dizer ou falar – proclamação, Ser – testemunho, Fazer – serviço
Um homem faminto não tem ouvidos – um missionário em Nairóbi Gandhi (1931) – Considero que o proselitismo disfarçado de trabalho humanitariano é, no mínimo, doentio. Porque eu deveria mudar de religião devido ao fato de um medico que professa o cristianismo como sua religião ter me curado de alguma doença?
Pastor Richar Hoover, Cadeira de Missões - IBAD

Postado em 05/10/2010 às 21:54:48
#2

H. C. Galvão

Pindamonhangaba - SP

Stott em 1966 concordava com a exclusividade de missão ser pregar, converter e ensinar (Mt 28.19-20, mas dez anos depois reconheceu que ação social também faz parte da Grande Comissão (Mc 16.15; Lc 24.47; At 1.8 e Jo 17.18, 20.21 – Como o Pai me enviou, eu também vos enviou). Sua missão é seu modelo. Primeiro buscar e salvar os perdidos (Lc 19.10), mas também servir no mundo. No ambiente humano, no contexto social: alimentou famintos, curou enfermos, abençoou crianças, ajudou mulheres, ministrou a leprosos, até ressuscitou mortos. Veio para servir (Mc 10.45).
O Pacto de Lausanne – Nós afirmamos que Cristo envia o seu povo redimido ao mundo como o Pai o enviou e isto conclama para um envolvimento profundo e dispendioso no mundo (parágrafo 6).
Richar Hoover, Cadeira de Missões IBAD

Postado em 05/10/2010 às 21:59:17
#3

H. C. Galvão

Pindamonhangaba - SP

Diálogo
Relatório de Upsalla (Evang/Lausanne): Não nega a supremacia de Cristo; não cancela o compromisso com Cristo; É uma abordagem genuína cristã, humana, pessoal, relevante e humilde; mostra a nossa humanidade, o bem e o mal a outros também humanos com os mesmos dois lados, mostra interesse com essa humanidade.
É autêntico, real. É humilde, não arrogante. É integro, sem máscara. É sensível, não forçoso.
Richar Hoover, Cadeira de Missões, IBAD

Postado em 05/10/2010 às 22:00:41
Editora Ultimato ABU Editora