Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

O resgate: uma alegoria sobre a vida cristã e os meninos tailandeses

Por Rute Salviano Almeida

As imagens do resgate dos adolescentes e seu treinador na Tailândia ocuparam as manchetes nos últimos dias e todos ficaram muito felizes com o bem-sucedido resgate. Os vídeos divulgados pela Internet levam a uma interessante reflexão e até mesmo a uma alegoria com o maior dos resgates já feito, quando Jesus Cristo derramou seu sangue pelos pecadores na cruz, o que nos garantiu vida nos céus.

As pessoas estão vivendo neste mundo em busca de aventuras, diversões e algo mais que lhes afaste o tédio e as preocupações e, para obter isso, envolvem-se em situações perigosas.

O início de tudo

"... Essa não era a primeira vez que eles entravam na caverna para se proteger de uma chuva após um treino do time Moo Pa (ou Wild Boars) perto dali. Naquele 23 de junho, porém, a tempestade se intensificou e as águas subiram muito rapidamente, forçando o grupo a entrar em uma área cada vez mais profunda. Surpreendidos pela inundação da rede subterrânea, eles se viram presos e sem ter como voltar por onde entraram."

Muitas vezes o cristão é tentado, sucumbe à tentação, e acaba por gostar do sentimento que ela provoca: um tipo de desafio, algo proibido, o suspense, a expectativa... E volta novamente... E já não é a primeira vez, mas pode ser a vez fatal.

O local do perigo

"... A entrada da caverna Tham Luang é grande, espaçosa. Mas, avançando algumas centenas de metros, sua passagem se torna complexa e estreita, cheia de ramificações. Há câmaras no caminho, e muitas delas acumulam água até mesmo em períodos secos. Quando chove muito, as galerias ficam cheias e transbordam. A caverna tem 10 km de percurso conhecido e a profundidade também chama atenção. Estima-se que o local onde estão os garotos tem entre 800 metros e 1 km de profundidade."

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e são muitos os que entram por ela; pois a porta é estreita, e o caminho que conduz à vida, apertado, e são poucos os que a encontram” (Mt 7.13-14).

Nesse caminhar aqui na terra passamos por lugares amplos, mas que levam a espaços apertados e perigosos. A aparência agrada, mas a realidade é outra. Pode ser algo com um apelo interessante, porém, qual será o objetivo? Precisamos refletir ao tomar qualquer decisão, colocando-a sempre em submissão à vontade de Deus: “porque o coração do homem planeja seus caminhos, mas o Senhor lhe dirige os passos” (Pv 16.9).

A rocha segura

"... Eles foram encontrados por mergulhadores na segunda-feira, agrupados sobre uma rocha, tentando escapar de uma inundação que ainda traz riscos. Nesta terça, sete mergulhadores, incluindo um médico e um enfermeiro, foram ao encontro deles para checar seu estado de saúde, alimentá-los e mantê-los entretidos."

"Quando se está preso em uma caverna, você quer buscar o ponto mais alto do local (para se proteger)". Anmar Mirza

Os cristãos sabem que não há lugar seguro e nenhuma paz para a alma senão na comunhão com Deus (1Sm 2.2). Entre muitas rochas falsas que existem, Jesus Cristo é a nossa rocha verdadeira. Ele nos tirou de um lugar escorregadio, de um charco de lodo; e pôs os nossos pés sobre uma rocha, firmou os nossos passos; e pôs um novo cântico na nossa boca, um hino ao nosso Deus (Sl 40.1-3).

O habitat

"... Podia se contemplar os peixes nadando enquanto os mergulhadores resgatavam os perdidos. Eles estavam em seu habitat natural, tranquilos e confortáveis. Mas, aqueles que ficaram presos naquela caverna passavam por medo, insegurança e temiam por suas vidas."

Existem pessoas que não se consideram “cidadãos dos céus” e vivem confortavelmente aqui nesta terra, acham tudo muito natural e agradável. Enquanto acontecem calamidades, enquanto pessoas morrem e vão passar a eternidade no inferno, elas estão acomodados e coadunadas com a filosofia pós-moderna: Tudo é relativo, hoje é assim mesmo, isso não é pecado para mim e seguem sem se importar com o destino de suas almas.

O resgate

"... O caminho de seis horas, tortuoso, tem água muito lamacenta e sem visibilidade. Um dos mergulhadores chegou a comparar a experiência a “mergulhar em café”. Os meninos e o técnico foram guiados por mergulhadores com uma corda e usaram máscaras faciais, os cilindros de oxigênio foram carregados pelos mergulhadores. Como parte da água foi drenada, conseguiram caminhar parte do percurso."

Foi bem difícil o resgate, muitas pessoas envolvidas, um mergulhador morreu, as famílias dos adolescentes vigiavam e tantos outros se postaram à entrada da caverna. O nosso resgate espiritual também foi difícil e foi pago um alto preço por ele. Nosso resgate custou a vida de Jesus Cristo.

Alguns anseiam por esta salvação e a aceitam, desejam ir para sua pátria celestial, livres dos perigos terrenos. Outros não creem em Cristo e vivem como se a alma não fosse eterna e tudo que eles têm é seu deus, o ventre (Fp 3.19).

E você, é um cidadão do céu (Fp 3.20)? E anseia ir para casa? Anseia encontrar-se com Cristo, seu resgatador, ou prefere viver adaptado a uma caverna espiritual, envolvido por trevas e perigos para sua alma?

Rute Salviano é licenciada em Estudos Sociais, bacharel em Teologia (especialização em Educação Cristã), mestre em Teologia (concentração em História Eclesiástica), pós-graduada em História do Cristianismo pela UNIMEP e autora de "Uma Voz Feminina na Reforma", "Uma Voz Feminina Calada Pela Inquisição" e "Vozes Femininas no Início do Protestantismo Brasileiro", publicados pela Editora Hagnos.

Leia mais
» Século I - O Resgate

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.