Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

Marta: recatada e do lar

“Indo eles de caminho, entrou Jesus num povoado. E certa mulher, chamada Marta, hospedou-o na sua casa. Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada. (Lc 10.38-42)”

Marta hospedou Jesus e os seus discípulos.
Todos foram bem tratados,
O que deu, de certo, muito trabalho...
Marta cuidou de tudo.
Maria se sentou aos pés de Jesus,
Como quem queria aprender com o mestre.
Essa era a postura de discípulo.
Isso só era permitido aos homens.
Marta se incomodou.
Vergonha alheia!
Marta era recatada e do lar.
O lugar da irmã era ao seu lado.
Recatada e do lar!
Maria estava se expondo à vergonha.
Também envergonhava a Jesus.
Ser discípulo era para homens...
Marta achou a solução;
Para Maria e para Jesus.
Que Jesus pusesse Maria no lugar certo:
Recatada e do lar.
Resolveria dois problemas:
Maria deixaria de se expor,
Deixaria de querer o lugar de homens,
E Jesus escaparia do vexame,
E de forma pastoral.
Jesus não aceitou a sugestão.
Aceitou Maria como discípula.
Quebrou um paradigma milenar.
E, de forma pastoral,
Convidou Marta para a mesma posição.
Jesus se ocupa em preservar o lar.
Mas do lar cuidam todos os que do lar são.
Jesus tem o mesmo lugar
Para homens e mulheres:
O lugar de discípulo.

Nota: Artigo publicado originalmente na seção Contraponto da edição 362 da revista Ultimato.

• Ariovaldo Ramos é escritor, conferencista e presbítero na Comunidade Cristã Reformada, em São Paulo, SP. Foi, por quatro anos, membro do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) e é presidente da Visão Mundial no Brasil. É autor de Pare de Conjugar o Verbo Sofrer.

Leia mais
É possível ser feminista cristã?
A Missão da Mulher
Deixem Que Elas Mesmas Falem
Refeições Diárias com os Discípulos

Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.