Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Notícias

Estados Unidos fazem Cúpula contra o Extremismo Violento

Por Agência Brasil

Começa hoje (18) em Washington uma reunião de cúpula internacional contra o extremismo violento. Promovido pela Casa Branca, o encontro teve os trabalhos iniciados ontem (17) , mas hoje o presidente Barack Obama deve proferir um discurso inaugural, segundo a agenda oficial. A cúpula será realizada poucos dias depois do ataque terrorista em Copenhague, na Dinamarca, e da execução de uma trabalhadora humanitária americana que era refém do Estado Islâmico na Síria.

Amanhã (19), Obama deve se reunir com representantes do Departamento de Estado e com ministros de vários países, além de integrantes das Nações Unidas, como o secretário-geral do organismo, Ban Ki-moon. A União Europeia também será representada. Segundo a Casa Branca, mais de 60 países, incluindo 14 nações árabes, estarão presentes na cúpula.

O encontro em Washington ocorre uma semana depois de Obama ter pedido o apoio do Congresso norte-americano no combate ao Estado Islâmico, em uma declaração que não estabelece limites geográficos nem contempla operações terrestres e que deverá servir de base legal à ofensiva em curso.

A proposta determina que a autorização termine três anos após a data de promulgação da resolução, período durante o qual a Presidência deve se reportar ao Congresso a cada seis meses – prazo que pode ser renovado.

Os Estados Unidos lideram desde setembro uma coligação internacional de combate aos jihadistas do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

Até o momento, quatro cidadãos norte-americanos que tinham sido feitos reféns pela organização foram executados. A última vítima foi a trabalhadora humanitária Kayla Mueller, 26 anos, raptada em 2013 na Síria pelo grupo jihadista, que proclamou um “califado” no Norte do Iraque e da Síria em junho do ano passado.

Um dos pontos debatidos deve ser como evitar o recrutamento de jovens estrangeiros ocidentais. Segundo estimativas de organismos internacionais e da imprensa, o grupo teria entre 20 mil e 30 mil combatentes, 15 mil oriundos da Tunísia, Arábia Saudita, de Marrocos, da Jordânia e Turquia.

Uma das preocupações entre os países ocidentais e também os árabes que condenam a ação do Estado Islâmico é que os jovens estrangeiros recrutados regressem aos países de origem e cometam atentados terroristas.

-- Com informações da Agência Brasil. Texto: Leandra Felipe. Edição: Graça Adjuto.

Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1008 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Notícias

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.