Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Prateleira

“Conversas à mesa” com Martinho Lutero

Os bispos (ou aqueles que fazem o papel deles) deveriam orar: “Ó Deus,
livra os nossos pastores do relaxamento devocional”; os pastores deveriam
orar: “Ó Deus, livra as nossas ovelhas do relaxamento devocional”; os professores
de teologia deveriam orar: “Ó Deus, livra os nossos seminaristas do
relaxamento devocional”; e os pais deveriam orar: “Ó Deus, livra os nossos
filhos do relaxamento devocional”.

A igreja seria outra se essa oração fosse feita com tal ardor e sinceridade
até ser ouvida ao longo da história. O não relaxamento na prática regular de
exercícios devocionais aproxima a alma de Deus e gera uma porção enorme
de valores, como humildade, santidade, certezas, entusiasmo, alegria
e esperança.

Os mais seguros e benéficos exercícios espirituais incluem a leitura
proveitosa da Bíblia (quando Deus fala conosco) e a prática da oração não
formal (quando nós falamos com Deus). Os dois exercícios estão entrosados
entre si. Existe uma íntima relação entre a leitura meditativa da Escritura
e a oração contemplativa. Lutero diz que “a leitura bíblica acende a chama
da oração”.

A leitura de uma porção diária de algum devocionário sério, que não
substitua nem enfraqueça a meditação bíblica, tem sido uma bênção na vida
de muitos cristãos. Se este devocionário reúne porções diárias cuidadosamente
selecionadas, escritas há 500 anos pelo reformador alemão Martinho Lutero
(1483–1546), pode-se imaginar a riqueza que ele representa!

Lutero tinha o saudável costume de reunir seus alunos da Universidade
de Wittenberg em sua própria casa, nos horários das refeições. Alguns de
seus escritos surgiram dessas “conversas à mesa”. Graças à iniciativa de
James C. Galvin, ex-diretor de treinamento da Youth for Christ (a Mocidade
para Cristo americana), editor-geral do devocionário Somente a Fé – um
ano com Lutero, e da Editora Ultimato, leitores da língua portuguesa têm
o privilégio de “assentarem-se à mesa” com o reformador e ler retalhos de
seus muitos escritos. Como, por exemplo, o que está na meditação de 2 de
fevereiro: “Se eu não pregar sobre a fé, o resultado serão obras inúteis e
hipócritas. Se eu enfatizar somente a fé, ninguém fará quaisquer obras”.

O devocionário de Lutero está sendo lançado três anos antes das
comemorações do quinto centenário da Reforma, em 2017. Confesso
que estou ansioso pela chegada do próximo Ano-Novo para começar a
ler Somente a Fé todos os dias!
Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato, Elben César é autor de, entre outros, Mochila nas Costas e Diário na Mão, Para Melhor Enfrentar o SofrimentoConversas com Lutero, Refeições Diárias com os Profetas Menores, A Pessoa Mais Importante do Mundo, História da Evangelização do Brasil e Práticas Devocionais. Ex-presidente da Associação de Missões do Terceiro Mundo e fundador do Centro Evangélico de Missões, do qual é presidente de honra, é também jornalista e pastor emérito da Igreja Presbiteriana de Viçosa.
  • Textos publicados: 103 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Prateleira

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.