Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Opinião

A viola e a música cristã

Engana-se quem pensa que a viola nasceu no Brasil. Ela chegou por aqui trazida pelos religiosos no início da colonização, por volta de 1549 – data da chegada do primeiro grupo de seis jesuítas, sob o comando do padre Manoel da Nóbrega. Chegou como viola de arame, uma prima da guitarra portuguesa. Era, inicialmente utilizada nos serviços religiosos dos padres empenhados na catequização e educação dos indígenas.

Com o passar do tempo a viola adquiriu nuances próprias nessas terras. Nas mãos de artesãos locais foram introduzidas pequenas alterações na sua construção.

“Nascia assim um dos mais importantes instrumentos da música brasileira: viola de dez cordas, viola de arame, viola de pinho, viola cantadeira, viola pantaneira, viola cabocla, viola sertaneja, viola nordestina, viola tropeira, viola campeira, viola caipira ou, simplesmente, viola brasileira” (Angelim, no livro “Uma viola rio abaixo”, Thesaurus Editora).

• Leia este texto completo no blog do Carlinhos Veiga.

Imagem: José Ferraz de Almeida Júnior (domínio público)/Wikimedia Commons

Leia também
Como ser evangélico sem deixar de ser brasileiro
Sobre a música do mundo e a música do (sub, sobre, extra, fora, ex, para outro?) mundo 
Cristo e a criatividade
Equipe Editorial Web
  • Textos publicados: 1008 [ver]

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Leia mais em Opinião

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.