Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Terrorismo Espiritual

Nos nossos dias, ações terroristas de grupos radicais islâmicos estão espalhando o medo pelo mundo todo, ainda mais com esse poderoso instrumento de informação que é a internet. Acesso o facebook e está lá, um vídeo compartilhado mostrando fortes imagens de cristãos sendo barbaramente mortos por extremistas muçulmanos. Não sei como tem gente de mau caráter que ainda tem coragem de defender esses grupos, dizendo que são pobres vítimas da opressão de poderes hegemônicos ocidentais (incluindo a cristandade).Mas, existe um outro tipo de terrorismo que, por sua aparência externa de piedade, ainda consegue ser mais nojento. Falo do terrorismo espiritual, praticado por cristãos evangélicos desequilibrados (como é o caso de alguns membros de círculos pentecostais) contra seus próprios “irmãos” na fé.
O terrorismo espiritual, cujos principais agentes são os chamados profetas e profetizas, é caracterizado por formas de discurso que geram medo, aflição e desespero, em nome de Deus. É um mecanismo de poder e controle, empregado por alguns estranhos personagens carismáticos, que é legitimado por uma suposta autoridade que vem do Céu. Com base em ameaças e chantagem espiritual, eles conseguem a submissão cega e muda de seus seguidores, sem enfrentar resistência alguma.
O terrorismo espiritual se expressa em frases, como: “Se você não fizer isso ou aquilo, Deus vai pesar a mão sobre você!”; “Não toque no ungido do Senhor!”; “Os rebeldes [entenda-se aqueles que não concordam com os ensinos e as práticas do arrogante profeta], Deus vai matar”. Eu mesmo já ouvi sentenças de morte sendo desferidas contra pessoas, em nome de Deus.
Amanda, jovem universitária, contou-me que só se “converteu” em um culto pentecostal porque certa “profetiza” lhe disse que, caso ela não aceitasse Jesus naquele exato momento, o diabo a mataria. Quanta bestialidade! Sendo que as Escrituras, livro onde os evangélicos coerentes, embasam sua fé, deixa claro que a conversão e o arrependimento são graças divinas, aplicadas eficazmente pelo Espírito Santo na interioridade do indivíduo. A fé, dom de Deus, é despertada pela simples pregação do Evangelho e não pelo sermão violentador da consciência e aterrorizador do espírito.
Caio, é um profissional liberal, muito inteligente e questionador. Há dois anos, por alcançar uma nova e mais compreensão do Evangelho, decidiu sair da sociedade religiosa pentecostal da qual era membro para se vincular a um grupo protestante histórico. Após essa mudança, ocorreu-lhe uma situação muito triste na vida pessoal. Para aumentar ainda mais a ferida, assim como os amigos de Jó, apareceu em cena mais uma dessas profetizas, uma terrorista espiritual, com a seguinte mensagem ao pobre homem: “Isso lhe sobreveio porque você é um rebelde, abandonou a sua igreja e perdeu a benção espiritual do seu pastor. Enquanto você não fizer o caminho de volta, essa maldição não lhe será tirada”.
Isso é uma afronta à liberdade de expressão e crença de uma pessoa. Trata-se de um discurso intimidatório, criminoso, cerceador da livre consciência de fé. Aquele que pratica tal coisa não deveria ficar impune perante a lei. Toda pessoa que confia de todo o coração em Cristo, está nas garras da graça e ninguém pode arrancá-la de lá, sendo Cristo mesmo o único mediador dessa graça de Deus. Isso significa que o favor de Deus não está condicionado à intercessão, mediação ou cobertura espiritual de nenhum sacerdote humano ou líder religioso algum. Quem pode condenar aos que Deus justificou? Quem pode amaldiçoar aos que Deus abençoou?
Já que o nosso texto está um pouco sombrio hoje, vou contar um último caso, tendo como cenário um funeral. João perdeu a sua esposa. Um profeta do medo, após a cerimônia fúnebre, procurou o viúvo e, ao invés de consolo, entregou-lhe uma perversa explicação espiritualizada da causa mortis: “Ela morreu para que você se acertasse com Deus”. Terrorismo, paganismo, covardia! Até hoje, João lida com o desespero causado pela culpa de ter sido o possível causador da morte da mulher amada. Tenho orado com ele, buscando o conforto do Pai de Amor e Misericórdia.
O Deus que conheço não requer sacrifícios humanos para cobrir os pecados de ninguém. Cristo, Ele é o único sacrifício, feito de uma vez por todas, aceito para a redenção daqueles que, graciosamente, desde a eternidade Deus designou para a salvação. Deus não mata ninguém para salvar ninguém. Quem mata é o diabo e seus agentes, dentre os quais, os terroristas espirituais. Esses, semeiam morte e não vida, espalham trevas e não luz, pregam um deus caprichoso e vingativo ao invés do Deus rico em graça e benignidade, são portadores do desespero e não da esperança, são servos da escuridão e não da luz.
Termino com o artigo 1º do Capítulo 21 da Confissão de Fé de Londres de 1689: “A Liberdade que Cristo comprou para os crentes, no evangelho (...) consiste no livre acesso a Deus, no prestar-lhe uma obediência não suscitada por medo escravizador; e sim, por amor, como o de uma criança".
Itaperuna - RJ
Textos publicados: 40 [ver]
Site: http://www.crencaevivencia.blogspot.com.br
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.