Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Será que devo acreditar?

Joseph Goebbels, Ministro de Propaganda de Adolf Hitler, dizia que uma mentira contada/repetida muitas [mil] vezes terminaria virando verdade; hoje, século XXI, com a facilidade, a velocidade e a diversidade da Internet [e-mail, facebook, Messenger, WatsApp, twitter] as notícias se propagam, em todo o planeta, em questão de segundos.

Dizem os estudiosos, os especialistas em mídia virtual, que mais de 90% do que circula nessas redes sociais, é FALSO.

Às vezes para o "furto" de listas de e-mails [quase ninguém protege seus contatos usando o modo "Cco" – com cópia oculta], outras vezes para infectar, com um vírus espião, as máquinas dos menos avisados, que caem nas armadilhas diárias de golpistas.

Há fortes boatos, por exemplo, se espalhando na internet, como se originários de alguém do nosso convívio e confiança, a respeito do FGTS liberado pelo Governo, como se tivéssemos algum dinheiro lá na "guardadora" [depositária] desses recursos [cuidado, não cliquem em nada!].

Cuidado! Antes de clicar no "compartilhar" ou "repassar" cheque com cuidado e segurança se a notícia é verdadeira; se a mídia não falou no assunto é uma primeira pista de que pode ser inverdade; pesquise nos sites especializados nisso.

Não espalhemos boatos, o povo já está sofrendo muito com o que é verídico, não vamos lhe colocar nas costas mais pavor, mais sofrimento!

Hoje há alguns adolescentes, seguidores de um jogo denominado "Baleia Azul", sendo induzidos ao suicídio; creio que posso afirmar que essa é uma ação muito bem engendrada por demônios.

O Senhor Jesus disse que "veio para que tenhamos vida, e vida em abundância, mas que o ladrão [o diabo] vem para matar, roubar e destruir" (Jo. 10 10) – é o que está acontecendo hodiernamente.

Em sua segunda carta a Timóteo o Apóstolo Paulo alertou: "Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às FÁBULAS" (II Tm. 4 3-5).

É, se analisarmos bem o contexto bíblico [não só estes versículos] sobre o final dos tempos, a desordem moral, a desordem ética, a desordem social e, principalmente, a desordem espiritual [o mundo está cheio de falsos profetas – incontestavelmente].

A humanidade, dos nossos dias, cresceu tanto nos aspectos cultural e intelectual que já não dá crédito ao que Deus fez, faz e ainda fará até à eternidade; ouvem aos cristãos replicando que a Palavra de Deus é "conto da Carochinha!"

Mas, essa mesma humanidade, dá crédito a uma fitinha amarrada no pulso, dá crédito a objetos de madeira, de pedra ou de qualquer outra matéria como se aquilo pudesse lhe "trazer sorte", saúde ou riqueza; crê mais em uma pedra [com supostos poderes mágicos], que lhe foi vendida na esquina, do que em Deus, criador de todas essas coisas; por mais maravilhosas, que sejam as obras materiais do Pai [e são], elas não têm poder algum em nossas vidas, pelo contrário!

Se "mandingas", "simpatias", "crendices" populares, "benzeduras", "superstições", "esoterismo" tivessem poder de ajudar, de curar, de prosperar a vida de alguém [já nem falo em salvar] em vão teria sido a vinda de Deus à Terra, na pessoa do seu Filho unigênito, o Senhor Jesus, dando a sua vida em nosso lugar – mas Ele RESSUSCITOU [o túmulo está vazio, o trono não] para a glória de Deus, sem o que seria vã a nossa fé conforme afirmou o Apóstolo Paulo.

(?) Por que Deus enviou seu Filho para se entregar, em uma cruz, em nosso lugar se, supostamente, podemos achar solução para tudo na "mãe" (sic) natureza? Não faz sentido!

Pense nisso!
São Paulo - SP
Textos publicados: 458 [ver]
Site: http://www.sefiel.com.br

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.