Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Porque a homossexualidade é um pecado

Tenho evitado por anos a abordar esse assunto aqui. Evitado porque esse é um tema provocativo, polêmico e esbarra a todo tempo nas redes sociais de todo mundo.

Alguns perceberam que Jesus, o Messias, não gastou com esse assunto – diretamente – nada do seu breve tempo de ministério. Sinal que havia outras prioridades.

Ao contrário d’Ele, a direita evangélica (e talvez católica e ortodoxa também) gastam muito de sua energia em atacar o movimento organizado, que por sua vez luta por galgar mais direitos para o grupo. Por isso não estou aqui fornecendo mais material nem combustível para essa guerra.

É evidente que essa temática não é nada nova. A Bíblia trata dela tanto no velho como no novo testamento. É de conhecimento geral que a homossexualidade é pecado. O que se percebe hoje é um avanço cada vez maior, para se apresentar esse comportamento como sendo algo aceitável à sociedade cristã. Mas é inaceitável. Ocorre. E quem assim se comporta necessita do devido tratamento, como é o caso de todo pecado. O Evangelho revela graça, perdão com libertação do domínio do poder do pecado, seja ele qual for. Com isso não estou dizendo que seja tão fácil.

Todos nós sabemos que existem centenas, se não milhares, de comportamentos humanos que não são dignos. Consumir e gerar pornografia, prostituição, pedofilia, adultério para ficarmos no campo sexual. Mas todos esses comportamentos são igualmente condenáveis, se não pela sociedade, pela lei divina.

A palavra pecado trás uma carga complexa de entendimentos. Alguns até preferem riscá-la do vocabulário. Afinal o que é pecado? E pecado é o quê?

O sentido religioso da palavra, então, é o que mais se quer evitar. Afinal, "quem não tem pecado, que atire a primeira pedra".

Wachmann Nee, que foi perseguido e preso por ser cristão, notou que na epístola aos romanos, são Paulo difere "o" Pecado de "os" pecados. Para ele o chamado "pecado original" sob o qual toda humanidade se encontra é uma lei, um princípio que escraviza todo filho de Adão. Só Jesus, que nasceu pela virtude do Espírito Santo, que teve a carne não contaminada pelo pecado original e jamais pecou, embora tenha sido tentado em tudo. Por isso mesmo Jesus veio, morreu e ressuscitou, para libertar todo homem dessa escravidão do pecado. Qualquer ser humano, heterossexual e também homossexual, necessita da obra redentora de Cristo para alcançar a salvação de sua alma. Foi por isso que João Batista anunciou Jesus como sendo o Cordeiro de Deus, que tira o Pecado do mundo. O apóstolo Paulo esclarece que Jesus morreu, para que morramos com Ele, e Ele foi crucificado e sepultado, para que juntamente com Ele o nosso corpo do pecado seja desfeito.

Existe uma brincadeira que conta "não existir ex-gay", numa tentativa lúdica de justificar ser homossexualidade um comportamento tão arraigado e natural que não há como alterá-lo. Isso é obviamente uma inverdade, não é necessário muito tempo de pesquisa para encontrar várias pessoas que mudaram seu modo de vida.

Já os pecados que se comete, também ofensivos a Deus, diz respeito à quebra da lei divina. O mesmo são Paulo lamenta que "o bem que ele queria fazer, não fazia, mas o mal que não queria, esse sim ele fazia". Por isso foi um árduo propagador da salvação, não pelo cumprimento da lei, mas pela fé no Evangelho. O Evangelho, anuncia não somente a libertação do poder do pecado, mas também a possibilidade de perdão mediante a fé em Cristo, para cada desvio que se comete. Esse processo de arrependimento, confissão e perdão de pecados é que leva à purificação do coração humano, que possibilita a uma mudança de mente e comportamento. Como um todo é chamado de santificação, para a qual todo discípulo de Cristo é chamado. E isso não se alcança pelas obras, mas pela graça.

Bem, a homossexualidade, como qualquer outro comportamento sexual ilícito, está longe de ser uma virtude ou algo santo. Existem muitos desvios sexuais listados na Bíblia, alguns foram até tolerados por Deus, como a poligamia, mas doa a quem doer, a homossexualidade é tida como "abominação" é algo que irrita a Deus ainda mais do que os pecadilhos do dia a dia.

Mas isso não significa que a homossexualidade seja o pior dos pecados (se é que isso seja algum consolo). Sodoma e Gomorra são listadas como cidades promiscuas, mas o profeta faz questão de relatar que o pecado delas foi não auxiliar o necessitado. E Jesus diz que cidades por onde Ele passou sofreriam juízo maior por não terem reconhecido os seus milagres.

Então se alguém quiser saber qual é minha opinião sobre o assunto acho que tem aqui um bom resumo. Penso que meus conhecidos gays, por saberem que sou cristão, sabem mais ou menos o que penso.

Àqueles que são heterossexuais e que por alguma razão são simpáticos ao comportamento gay e não querem ver nisso um pecado, talvez venham a refletir no que disse e talvez concordem ou não com o que escrevi – acho que é o direito de cada um ter sua opinião sobre o que quiser. Inclusive eu a minha.
Fürth/ Alemanha - EX
Textos publicados: 169 [ver]
Site: http://teologia-livre.blogspot.de/

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.