Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Pastorado: profissão ou vocação?

A humanidade está em uma corrida desenfreada ruma à profissionalização. Uma profissão com um alto ganho financeiro, com condições especiais e benefícios, uma posição de destaque no emprego e uma carreira de sucesso são os objetivos de milhares de indivíduos. Logo, nota-se que até mesmo pastores estão se envolvendo nesse percurso que, para eles, é um tanto perigoso.
Há algumas décadas o que se notava claramente era que uma grande quantidade de homens se lançavam no ministério pastoral engajados em servir e, se preciso fosse, estavam totalmente dispostos a abrirem mão da própria vida para exercerem o pastorado. A motivação deles era o amor. No entanto o que se percebe atualmente é completamente o oposto. Cada vez mais uma quantidade enorme de homens estão em direção ao ministério para "ganharem a vida", tendo o pastorado como uma profissão, uma carreira, um emprego, e não uma vocação, um serviço ao Reino de Deus.
Acredito que uma das causas dessa triste realidade é o presente individualismo. O homem tem substituído o "nós", pelo o "eu"; o contentamento, pela ambição; a dependência de Deus, pela falsa segurada de estabilidade financeira. Seus olhos já não conseguem estar fitos em Deus, mas nos atrativos e fascínio deste mundo. Tudo que almejam é satisfazer a si mesmos.
Por esse motivo, pastores engajam-se em adquirir mais e mais títulos para serem acrescentados em seus currículos. Com a finalidade de atingir salários mais altos, uma igreja nos padrões humanos de grandeza, estatus sociais, ou seja, preencher seu próprio ego e alimentar seus desejos vaidosos. Eles fazem planos de carreira, traçam metas e, todas elas, nos ideais e moldes do mundo. Para Mark Coppenger à própria ideia de se traçar um plano de carreira significa o antecipamento de uma longa progressão ascendente por meio de promoções, em outras palavras, há pastores que estão, na verdade, em busca dessas promoções.
O pastorado não pode ser objeto de satisfação, sucesso pessoal, nem meios pelo qual se atinja uma vida de conforto e comodidade. O pastorado não é uma profissão, mas uma vocação, no qual Deus escolhe homens para pastorear seu rebanho, com amor, dedicação e muita abnegação. Fazer dele uma carreira é um risco que até mesmo o pastor mais piedoso pode correr, mas como mencionado pouco acima, os pastores devem estar sempre conscientes de sua vocação, para o que realmente Deus os chamou e, sempre, estarem com os olhos voltados para a Palavra.
Assim, em vez de credenciais, o pastor deve se preocupar com o caráter; em vez de títulos, com o verdadeiro conhecimento bíblico; em vez de ascensão profissional, com sua santidade; em vez de dinheiro, com sua igreja; em vez de bens matérias, com sua própria salvação, pois se estes não forem seus verdadeiros interesses, poderá certamente estar inclinado à condenação.
Concluo dizendo que o ministério pastoral deve ser tido como um nobre privilegio e uma oportunidade que foi dada a pecadores escolhidos, para que estes venham a servir a Igreja e, exercendo de forma consciente, dedicada e fiel o pastorado, glorifiquem a Deus. Portanto, pastorado não é uma mera profissão, mas, sim, uma vocação.
São Paulo - SP
Textos publicados: 2 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.