logo ultimato
  • Seja bem-vindo Visitante!
  • Cadastre-se
  • facebook
  • twitter
  • rss
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Esqueci minha senha

Palavra do leitor

Onze anos de casados: bodas de aço

"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor... mas o maior destes é o amor." (1 Corintios 13:13)

Neste mês de outubro completaremos onze anos de casados. Não me lembro ao certo porque escolhemos o mês de outubro, ou o “porque” do dia 28. Se não me falha a memória começamos a namorar neste mês, acho que no dia 12, mas não sei se isso influenciou na escolha da data do nosso casamento.

O dia 28/10 transformou-se em uma data muito especial e importante para nós. Merece destaque em nossas agendas e é um dia reservado a nós dois.
São onze anos de união... Comemoraremos bodas de aço, o que me leva a um paralelo entre esse metal e nossa caminhada até aqui... As peculiaridades do aço têm algumas semelhanças com nossa vida a dois.

O aço é um elemento indispensável para assegurar a estabilidade a um alicerce. Onze anos debaixo do mesmo teto, deu ao nosso casamento uma firmeza que jamais imaginamos alcançar. O aço é dúctil, ou seja, quando sofre forte impacto, ele se deforma a fim de não romper-se. Nesses onze anos algumas deformações foram absorvidas por nós, nos moldamos a cada uma delas a fim de que não houvesse um rompimento em nossa união e hoje percebemos o quanto valeu nossa disposição. O aço, para chegar a ser de fato aço, passa por pelo menos três grandes fundições, e em cada uma delas muitos resíduos são desprezados. Nesses onze anos... Percebemos os processos siderúrgicos pelos quais passamos, com temperaturas altíssimas, mas que serviram para eliminar resíduos que impediam a purificação de nosso relacionamento. Tudo aquilo que embotava, que tirava o brilho ou que ameaçava enferrujar foi posto fora... e permaneceram apenas ligas puras que integralmente se misturam fazendo de nós dois um único elemento. 

Assim como o aço, e não é todo casal que comemora bodas de aço, temos características bem particulares: na forma, no tamanho, na uniformidade e... Mais importante... É claro... Em nossa unidade; são necessários muitos, mas muuuiiitttoos graus centígrados para nos separar. Ora... Somos aço, somos um, a simbiose é perfeita. Essas são propriedades que aumentam nossa resistência à tração, à compressão, à flexão, independente da direção que venham... Ao chegarem em nós, deparam-se com uma sólida estrutura.

Mesmo sendo aço, não estamos livres de transformações, pois apesar de homogêneos, podemos, a partir de ações externas ou internas, sermos transformados em: laminados, forjados, estampados, estriados, ou mesmo sermos atingidos em nossa essência, mas mesmo diante disso, acreditamos que nosso problema poderá ser resolvido com um adequado tratamento térmico ou químico. O tratamento térmico buscaremos no calor do amor que sentimos um pelo outro, que além de nos unir, nos faz desejar permanecermos juntos. O tratamento químico buscaremos naquele que pode transformar todas as coisas: velho em novo, água em vinho, indiferença em amor... Buscaremos em Deus, que há onze anos atrás abençoou nossa união, esteve conosco até aqui e continua a dispensar suas bênçãos sobre nós. Hoje estamos bem mais próximo d’Ele do que em tempos atrás, e percebemos que quanto mais nos aproximamos d’Ele, mais ficamos perto um do outro. É uma relação de interdependência: não conseguimos viver um sem o outro, é impossível vivermos sem Deus.

No ponto em que nos encontramos, nesta que é uma caminhada de onze anos (só de casados...), não nos resta alternativa a não ser olhar para trás e agradecermos a Deus por todos os favores e vitórias que Ele nos dispensou. Sabemos que aço, apesar de aço, não é um metal precioso, possui uma tendência natural à oxidação, e esta por sua vez pode deteriorar nossa união, por isso clamamos a Deus que nos “isole” de qualquer meio corrosivo... Que sempre nos dispense um tratamento de fosfatização (o mais eficaz para o aço)... Que nos proteja com sua unção que é capaz de nos fazer fortes e felizes.

Pedimos a Deus que a cada dia nos purifique e nos transforme: em prata... em ouro... em diamante... em brilhante. A Ele nossa eterna gratidão.
Eliude e Nilton 28/10/2006
Gama - DF
Textos publicados: 12 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

Opinião do leitor

comentar
Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.