Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

“O perigo de lidar com uma mente manipuladora”

E esta mente pode ser a nossa ou do outro.

A ausência da admiração honesta e sincera nos faz vaguear em dois extremos distintos:

Primeiro somos apaixonados e se não correspondido nossa paixão doentia, esta é transformada em um profundo sentimento de ódio.

Nas relações que construímos ao longo da nossa trajetória poderemos em uma determinada estação viver uma experiencia semelhante à do José, aquele que fora vendido por seus irmãos para o Egito.

Quem olhassem de fora diria: O Garoto teve uma boa sorte, poucos dias a disposição no mercado de escravos, fora vendido para uma pessoa do alto escalão do Governo, o poderoso Potifar.
E lá foi ele para mais uma aventura que se transformaria em um poderoso treinamento.
Depois de algum período o seu testemunho foi tão marcante que seu patrão depositou total confiança na administração de todos os bens.

No livro do Richard Foster, ele elucida o tripé que sempre está no encalço das pessoas, principalmente na gestão masculina. Ele afirma que o Dinheiro, Sexo e Poder, são conexões de poder que pode confirmar uma liderança ou que pode colocá-la em total exposição.
Basta olharmos para o cenário nacional e perceber a exposição do Poder e do Dinheiro, retrato de uma sociedade com bastante dificuldade em lidar com esta área, isto sem mencionar a questão do ícone Sexo.
E justamente neste quesito que foi o teste liberado para o ainda jovem José. Distante da família, dos olhos do Pai, dos amigos, da vizinhança ou de outros clãs, teria toda condição de ceder ao encanto de uma bela mulher.
Se tivesse outra cabeça ele diria: isto era só que me faltava para me tornar o ex-escravos mais bem-sucedido deste velho Egito.
Garantir que Jose leu o livro de Josué 1.8, seria uma odisseia literária pois este texto ainda não havia sido escrito por Moises, que nasceu bem depois deste evento, mas é possível declarar que em algum momento, na mente de José havia sido impregnado os princípios bíblicos contados por seu Pai, por seu avó acerca da promessa feita ao seu Bisavó Abraão.
E olha que não faltaria história, uma delas foi o Eliezer que buscou sua avó Rebeca andando cerca de 1800 quilômetros e não abriu mão do princípio da honra, do respeito, e da preservação da integridade da linda moça na época.
Agora Jose teria que tomar uma decisão ao ser pressionado por uma mente manipuladora.
Pessoas que possuem tal personalidade não desistem fácil, são teimosas, são extremamente persistentes e é provável que algum momento agimos assim ou somos tal pessoa.
A mulher do seu patrão ficou louca por ele, uma paixão doentia que teria que possuí-lo a qualquer preço.
Tentou de todas as formas e encontrou total resistência.
Quando uma pessoa com esta personalidade é ignorada ou seus desejos não são atendidos, aquilo que era uma paixão doentia se torna em ódio mortal.
Basta lermos o texto em Genesis 39.6 ao 20, com atenção e veremos que a esposa de Potifar, não se deram o luxo nem de citar seu nome, se transformou em pior inimiga de José e o enviou para o cárcere injustamente.

Provável que tenhamos muitos encarcerados que foram enviados em situação semelhante e dependem de uma intervenção divina.

Concluímos que o jovem José conseguiu passar pelos três níveis de testes sendo eles no Poder, no Dinheiro e no Assédio Sexual, de forma louvável, certo que sua garantia, força, virtude, não estava sustentada por conceitos humanos, psicológicos ou filosóficos, mas através dos princípios presentes na essência do Deus criador e que deseja ardentemente que sua criatura, o homem, usufrua destes a fim de ter uma vida em equilíbrio emocional, física e espiritual.
E nós, será que passaríamos nos testes?

O problema quando manifestamos este ato emocional manipulador com as pessoas vamos com certeza replicar na nossa relação com Cristo, na mesma proposta, e, não por não sermos atendidos, pois Cristo jamais atenderá uma solicitação de um manipulador, desejaremos mandar Cristo para uma prisão, ou mesmo de volta para Cruz. Nós simplesmente viramos as costas e dizemos: Com Cristo eu não me relaciono mais, e como o representante de Cristo no mundo é a igreja, esta é a primeira que sentirá nossa ausência, e ainda pensarmos: Ela sentira a minha falta e as consequências de não ter atendido as minhas expectativas.
O bom de tudo isto que existe um remédio para nos curar de tal condição comportamental.

Quero deixar uma fala escrita no livro de Josué 1.8 onde demonstra qual é o verdadeiro sucesso para um homem ou uma mulher

O comportamento da obediência sobrepõe o terrível comportamento
manipulador.

"Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido." Josué 1:8
Guarulhos - SP
Textos publicados: 51 [ver]
Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.