Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Não vai adiantar!

A respeito de um dos meus artigos recentes recebi um comentário, de um antigo amigo meu, comentário muito educado, cortês e, até certo ponto, conselheiro; disse ele: "O discurso vai ter que mudar, meu caro Edmar. Se quisermos ser ouvidos."

Disse isso após ter escrito: "Vem aí algo espantoso, a chamada "inteligência artificial". Já pensou, Edmar, você e eu termos que escrever para esse pessoal? E olha, acreditamos que a bíblia, "velha", não pode ficar. Mas certamente eu e você ficamos velhos cada vez mais."

Aflorou, em mim, uma espécie de sentimento de que o que estamos fazendo "não adianta nada", nada vai mudar principalmente quando da chegada, com toda a força, da "inteligência artificial"; alegrou-me, todavia, que ele disse que "a bíblia, ‘velha’, não pode ficar."

Passaram por minha mente algumas histórias e estórias, algumas das quais eu já havia mencionado neste espaço, e que preciso repeti-las:

- Um menino de uns 8 anos brincava na praia quando fortes ondas despejaram milhares, quiçá milhões de peixes, que ficavam se debatendo até a morte, esta fatal. Um a um, ele ia apanhando os peixinhos e remetia-os de volta ao mar; diante da magnitude do problema, um senhor idoso lhe disse: "isso que você está fazendo ‘não vai adiantar’; ele, então, se abaixou, pegou outro peixinho, lançou-o nas águas e disse ao velhinho: ‘para este adiantou’", e prosseguiu em sua árdua tarefa.

- A floresta estava em chamas, fogo incontrolável e imbatível, animais corriam de um lado para outro e, muitos deles, morreram comidos pelas labaredas; um pássaro, um beija-flor, mergulhava nas águas de um rio que cortava a mata, subia batendo as asinhas, e voltava ao leito do rio repetindo a operação; outro pássaro, incréu, lhe disse: "isso não adianta nada" ao que o beija-flor respondeu: "se todos ajudarem, vai adiantar" e continuou em seu infrutífero esforço de molhar o fogo com as gotinhas que suas asas derramavam.

- O Senhor Jesus contou uma parábola em que um semeador saiu a espalhar sementes; jogou-as à beira do caminho, outras em solo rochoso, algumas entre os espinhos e as últimas em boa terra; algumas funções da natureza não lhes propiciaram, à maioria delas, que frutificassem: as primeiras foram comidas pelas aves; as segundas, sendo pouca a terra, nasceram, mas foram queimadas pelo sol, pois não tinham raiz; as terceiras foram sufocadas quando os espinhos cresceram – mas as últimas deram fruto em grandes escalas; e terminou o Senhor Dizendo: "Quem tem ouvidos [para ouvir], ouça" (Mt. 13 3-9).

- Em outro momento, o Senhor Jesus contou outra estória: um empresário saiu para viajar, a negócios, chamou seus três servos e disse-lhes que iria ausentar-se mas voltaria; deu a um cinco talentos, a outro dois, e ao último apenas um.

O empregado que recebera cinco talentos saiu a negociar e ganhou, com eles, outro cinco talentos; o mesmo ocorreu com o que recebera dois, ganhou outros dois; todavia o que recebera apenas um [só tinha capacidade para tanto] cavou um buraco no chão e o enterrou.

Quando o patrão retornou, chamou seus auxiliares para prestações de contas; soube então o que fizeram os três, elogiou os dois primeiros dizendo: "muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor" – o terceiro homem disse: "Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajunta onde não espalhaste, receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu" – "respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu. Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez" (Mt. 25 14-30).

Temos, independente das circunstâncias, que fazer o obra de Deus!

O Senhor Jesus, no Sermão do Monte, disse: "Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da lei, até que tudo se cumpra" (Mt. 5 18).

Corretas, pois, as palavras do meu amigo: "E olha, acreditamos que a bíblia, "velha", não pode ficar."

Eu creio nisso, como creio nas palavras do Senhor Jesus que tudo pode passar, mas as palavras dele jamais passarão; a Palavra de Deus é a verdade ontem, hoje e eternamente e sempre haverá condições de a estarmos pregando a quem "tem o solo [coração] fértil" – sempre haverá alguém para ouvir, entender, receber o Senhor Jesus no coração e ser contemplado com a vida eterna ao lado de Deus.

Estou certo, todavia, que já não mais estarei aqui, pois, o arrebatamento dos seguidores do Senhor Jesus está próximo, e Ele vai cumprir a sua Palavra:

"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, VOLTAREI E VOS RECEBEREI PARA MIM MESMO, para que, onde eu estou, estejais vós também" (Jo. 14 1-3).

Pense nisto!
São Paulo - SP
Textos publicados: 482 [ver]
Site: http://www.sefiel.com.br

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.