Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Minha Reforma é Cristo: o resto é intelectualismo humano

Hoje, 31/10, grande parte do mundo cristão comemora o aniversário da Reforma Protestante. Sem dúvida, tal acontecimento foi um verdadeiro divisor de águas na História da Igreja: o acesso à Bíblia foi universalizado, heresias foram desmascaradas, ensinos realmente bíblicos vieram à luz. Todavia, nem todas as flores do jardim da Reforma foram tão cheirosas...

Tudo isto é de um valor extremo para nós, evangélicos, tanto para os que são chamados de "reformados" quanto para aqueles que não carregam esta "condecoração". Entretanto, algo que me causa estranheza é a maneira como a Reforma é comemorada: parece o modo pelo qual as pessoas em geral comemoram a independência de um país ou a descoberta da América, por exemplo. Os nomes dos líderes são citados em caixa alta junto às suas respectivas fotos com alguma legenda abaixo citando seus feitos heróicos.

Deveriam ser assim tratados os homens que Deus quis usar para a finalidade da Reforma? Deveriam ser tratados com tanta honra estes nossos "heróis da fé" modernos? Um dos "Cinco Solas" é Soli Deo gloria (glória somente a Deus), mas como "glória somente a Deus", se os reformados vivem glorificando aos seus teólogos favoritos? E, igualmente, como Sola scriptura (somente a Escritura), se muitos baseiam suas crenças mais em construções intelectuais sofisticadas do que no Evangelho puro e simples?

O apóstolo Paulo foi um instrumento nas mãos de Deus para escrever 13 cartas presentes em nosso Novo Testamento, mas nem por isso cremos ser razoável fazermos homenagens a ele como fazemos a Lutero, Calvino e a alguns outros teólogos de renome. E não o fazemos justamente porque a nossa boa formação cristã nos ensinou que a figura do homem deve diminuir na mesma medida em que o nome de Deus cresce (João 3:30), pois a honra e a glória só a Deus pertencem (1 Timóteo 1:17, Apocalipse 4:9; 4:11; 7:12, Gálatas 1:5, Filipenses 4:20 etc.).

Ademais, o "espírito" da Reforma já existia antes mesmo que alguém usasse o nome "Reforma Protestante" pela primeira vez. Não foi Lutero ou qualquer um dos reformadores que fizeram um "ato heróico", eles apenas disseram: "eis-me aqui" quando Deus decidiu dar um basta à hegemonia de Roma. E, ainda assim, nada impediu que estes mesmos homens de Deus construíssem logo em seguida suas próprias hegemonias ou que, posteriormente, seus seguidores o fizessem.

Portanto, sejamos gratos a Deus pelas boas coisas que a Reforma nos trouxe: não a olhemos de um modo secularizado, dando ênfase ao homem e à sua produção intelectual, como se o mentor da Reforma não tivesse sido Deus. Se os reformadores desejavam um retorno às Escrituras, nada melhor do que comemorarmos a Reforma submetendo os seus próprios escritos ao crivo do Evangelho. A minha Reforma é e sempre será Cristo: o que combina com Ele é Verdade, todo o resto é mera demonstração de intelectualismo humano, por mais que faça chover citações bíblicas sobre a minha cabeça!
Palhoça - SC
Textos publicados: 16 [ver]
Site: http://www.facebook.com/PageLuzAosMeusPes

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.