Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

"Me engana, que eu gosto"

"Me engana, que eu gosto"

Você já ouviu esta frase? Um dos momentos mais frustrantes das nossas vidas é quando somos enganados, manipulados por pessoas que nos induzem ao erro e o fazem pela mentira, pela falsa verdade ou mesmo com promessas atraentes.

A mídia está sempre noticiando sobre pessoas que viajariam em excursões escolares, mas que foram enganadas por empresas que "desapareceram". Muitos noivos são também ludibriados por pessoas que prometem alegrias nas cerimônias do casamento, mas fogem com os recursos deles já contratados.

As cerimônias de casamento sempre são belas e cheias de desejos de compromissos. Há conjugues que são manipuladores dos seus parceiros levando-os a assumirem uma posição de erro e de culpa por algo que não pensam e nem fizeram. Ele vive para através do outro ter os seus próprios desejos egoístas supridos. Casamentos têm sido destruídos e até algumas esposas têm carregado grande culpa pelo infortúnio do relacionamento tão sonhado. Filhos são marcados por pais que os enganam com mentiras sobre os seus valores pessoais.

O engano traz raiva e decepção, mas não nos exime também completamente de culpa. Muitas vezes as informações que buscamos e recebemos dos amigos e conselheiros não nos garantem a segurança de que tudo correrá bem em nossa vida familiar. Sonhamos muito, mas também fechamos os ouvidos para a realidade que nos apresentaram. A importância de uma boa indicação é fundamental, mas não é totalmente garantida.

O grande manipulador que a Bíblia apresenta é o sedutor Satanás. Ele se mostra como um anjo de luz, sendo atraente com as suas propostas enganosas, buscando nos induzir ao erro. Através da sua manipulação ele enganou o primeiro casal a pensar que eles poderiam ser como deuses, que poderiam desobedecer e viver impunes pelo seu erro. Ele tentou ludibriar até o Senhor Jesus. Vivemos em uma sociedade pluralista, na qual temos muito mais informações e recursos, mais oportunidades e liberdades, mas mesmo assim a insatisfação pessoal só tem aumentado. Somos manipulados a acreditar nas ofertas do prazer e na satisfação imediata e assim o verdadeiro amor pessoal e familiar só tem esfriado a cada nova geração.

A cada semana converso e ensino em uma clínica para dependentes químicos e outros vícios, e é nítido o quanto estes homens são enganados, mas também conscientemente se mantém no erro do que é imediato. Alguns deles parecem dizer friamente: " me engana que eu gosto".

O que nos dá segurança de que o nosso casamento dará certo? Quem é suficientemente bom para nos aconselhar a ponto de termos garantias de que seremos bem-sucedidos?

Davi, um dos maiores músicos e poetas de Israel escreveu o seguinte:

"O homem feliz não anda, não imita e não vive sob os conselhos dos ímpios, mas ele tem a sua satisfação em buscar o que Deus ensina na sua Palavra. Nesta orientação, ele pensa biblicamente, procura praticá-la e prosperará em tudo o que fizer"(Salmos 1:1-3).

Este mesmo poeta não conseguiu ser verdadeiro em dado momento da sua vida e tentou por quase um ano manipular um erro pessoal trazendo mortes e tristezas para a sua família e a de colegas próximos. Ele tentou se esconder de todos, inclusive de Deus, mas todo o seu ser sofreu pela não confissão do erro. Foi confrontado pela verdade e a sua vida tomou um novo rumo com o perdão divino, mesmo assim com consequências duras a enfrentar. Ele aprendeu que Deus se agrada da verdade no íntimo e que a manipulação não tem espaço para mantermos uma relação agradável com Ele.

O apóstolo Paulo escreveu que o engano terá em Deus o grande juiz destas ações íntimas enganosas:

" A vontade de Deus é que vocês sejam interiormente corretos; cada um controle a sua mente e o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa e que não sejam dominados pelos desejos desenfreados...neste assunto ninguém prejudique e nem mesmo se aproveite do outro. O Senhor castigará todas essas práticas" (1Tess. 4:3- 8).

Se aceitamos que foi Deus quem nos criou e também à família, temos a responsabilidade de buscar na fonte limpa os princípios eternos, tanto quanto Ele é eterno. Por que sermos enganados? Por que enganar?

Para pensarmos: A mídia tem nos influenciado positivamente a fim de termos uma vida familiar feliz? As leis ou a nossa constituição são favoráveis à sobrevivência saudável da família? Os conselhos dos amigos têm surtido o efeito desejado para vivermos melhor? Os conselheiros profissionais têm conseguido manter os relacionamentos em um bom nível e permanentes? Somos amorosos ou buscamos agir de maneira egoísta e mentirosa com os nossos familiares?

Não existe relacionamento familiar perfeito, mas é possível que ele se torne bom. Para isto, quero lhe fazer um convite convincente, pelo qual você não será enganado.

Deixemos Deus nos ensinar princípios seguros, mas não necessariamente fáceis, mas trazem resultados positivos. Façamos da Bíblia o nosso manual de boa convivência.
Pr. Carlos Martins
Campinas - SP
Textos publicados: 8 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.