Apoie com um cafezinho
Olá visitante!
Cadastre-se

Esqueci minha senha

  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.
Seja bem-vindo Visitante!
  • sacola de compras

    sacola de compras

    Sua sacola de compras está vazia.

Palavra do leitor

Dane-se!

Eu sei, o título não é legal, e quem me conhece sabe que, internamente, nem é exatamente com essa expressão que encabeço este texto. Dou-me a liberdade de uso pleno do idioma, mas sei que me cerco de gente tão sensível, que até mesmo essa atenuação desmotiva a leitura. Ocorre, no entanto, que é justamente esse termo (na verdade, o sentimento que ele expressa) que penso ser o mais adequado diante dos momentos mais duros da vida, aqueles em que Deus responde com um não contundente a clamores.

Abra os olhos, admita: a vida não é rosa, não é dada a tons pastéis. Para ser mais preciso, às vezes parece que ela gosta mesmo é de um soturno negro, e se ninguém te alertou, fique esperto – uma hora as portas se fecham e coro come. O emprego sólido se transforma em auxílio-desemprego e o bom currículo não impressiona mais. A falência chega, os boletos bancários se acumulam e os cobradores ligam dia e noite. O câncer chega à metástase e os médicos desistem do tratamento. Mães perdem seus filhos e crianças ficam duplamente órfãs. Cônjuges não voltam para casa e a solidão avizinha-se. Jovens flertam com o tédio, enamoram-se de entorpecentes e casam-se com o suicídio. Os destemperos da natureza causam cataclismos e o resultado de trabalho de uma vida inteira perde-se numa única noite. Homens maus invadem a casa e, com violência desmedida, levam impunemente não somente os bens como também a vida do pai de família. O sofrimento humano pode ser listado numa infinidade de outras linhas e pode ser que alguma dessas encontre você.

Eu sei, não é usual dizer tais coisas. Nós gostamos das vitórias, portas abertas, cura do corpo, restauração dos relacionamentos, dos bens, do status. Queremos as festas, os risos, a alegria. As mensagens que gostamos são aquelas em que tudo dará certo ou que, no mínimo, dispõem sempre de um colo consolador, uma afagadora mão e um doce abraço. Pode ser que seja sua realidade até agora, mas saiba que, para muitos outros, a vida impiedosamente já tornou-se madrasta.

Não querer a dor da crucificação é humano, mas é divino ter o poder e a autoridade para declarar que tudo está cumprido, devidamente consumado. Sofrer com as acusações, perseguições, naufrágios, prisões e açoites é humano, mas é divino ter a autoridade para dizer que o bom combate foi combatido e, no fim de tudo, ao acabar a carreira, tem-se bem guardada a fé.

A serviço de Deus, a vida é evolucionista, então se tudo sempre andou colorido para você, prepare-se: Asafe – narração do Salmo 73 – não invejou os justos. Os gregos não acreditavam à toa na existência da deusa Nêmesis. Não importa se você é bom ou mau, dias maus estão por vir. Decida como você reagirá.

Não dará para ser sempre uma criança espiritual. Não haverá sempre uma mão ajudadora, um condescendente ser que sempre atenderá aos seus desejos ou aliviará as suas frustrações.

E aí, como será? Chorar e espernear é uma opção. Clamar incessantemente até que a frustração e a apatia cheguem, também é. A depressão é atualmente a mais comum das reações, use-a se quiser. Mas e o dane-se? O libertador e regenerador dane-se, já pensou em seu poder?

Tanta dedicação àquela empresa e agora uma demissão sumária. Dane-se! Deus suprirá sempre as necessidades. De alguma maneira, ele suprirá; Anos de estudos e aprimoramentos, e nenhuma vaga aparece. Dane-se! Na verdade nunca foi seu belo currículo que abriu antes as portas de oportunidades, mas sempre o Senhor. O pouco que surgir deve ser aproveitado até que ele decida novamente dar boas chances; As cobranças são constantes e chegam, por telefone e cartas, exigências de pagamentos seguidos de ameaças e humilhações. Dane-se! Na prática, muitas vezes só a vaidade e orgulho são realmente afetados nessa situação; Ele disse que o amor acabou, que conheceu outra mulher e que não volta mais. Dane-se! Impossível mesmo é viver sem Deus, sem seu amor e sua real e vívida companhia. Ele, sim, ama para sempre e nunca abandona; A morte se aproxima numa doença que definha até a alma ou já arrebatou do convívio aquela pessoa indispensável e o vazio insiste em permanecer. Dane-se! Mortos e vivos estão igualmente diante de Deus e, nele, nós, por fim, triunfaremos sobre todas as dores e sofrimentos. Cearemos e celebraremos com ele, juntos. Nele, todos nós nos veremos novamente e com ele gozaremos a eternidade num corpo incorruptível. Danem-se as dores e tudo o que a vida pode tentar apresentar de ruim. E ELA VAI TENTAR! Você pode todas as coisas naquele que te fortalece!

"Já acabou, Jéssica?"(*). O melhor lutador não é o que bate mais forte, mas o que resiste mais às pancadas e cansa o adversário. O pôr-se novamente de pé, o levantar novamente dos punhos, e mais uma vez, e mais outra, e quantas vezes forem necessárias até que a luta acabe no soar do gongo é que mostra-se, por fim, a melhor de todas as reações.

"Porque tenho por certo que as aflições deste tempo não são comparáveis à glória que em nós há de ser revelada. Rm 8:18

(*) vide google
Rio De Janeiro - RJ
Textos publicados: 17 [ver]

Os artigos e comentários publicados na seção Palavra do Leitor são de única e exclusiva responsabilidade
dos seus autores e não representam a opinião da Editora ULTIMATO.

QUE BOM QUE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI.

Ultimato quer falar com você.

A cada dia, mais de dez mil usuários navegam pelo Portal Ultimato. Leem e compartilham gratuitamente dezenas de blogs e hotsites, além do acervo digital da revista Ultimato, centenas de estudos bíblicos, devocionais diárias de autores como John Stott, Eugene Peterson, C. S. Lewis, entre outros, além de artigos, notícias e serviços que são atualizados diariamente nas diferentes plataformas e redes sociais.

PARA CONTINUAR, precisamos do seu apoio. Compartilhe conosco um cafezinho.


Opinião do leitor

Para comentar é necessário estar logado no site. Clique aqui para fazer o login ou o seu cadastro.
Ainda não há comentários sobre este texto. Seja o primeiro a comentar!
Escreva um artigo em resposta

Ainda não há artigos publicados na seção "Palavra do leitor" em resposta a este texto.